Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Fundação do ABC investe sistema de reprodução

Publicidade

Os portadores de oligospermia (homens com baixo nível de espermatozóides) do ABC terão a partir deste mês, no setor de reprodução humana da faculdade de medicina da fundação do ABC, uma nova tecnologia adquirida pela instituição para a solução da doença. O novo equipamento, que esteve em fase de teste durante o mês de abril, foi adquirido por aproximadamente US$ 60 mil, e é capaz de fecundar o óvulo com apenas um espermatozóide vivo.
A eficácia garantida vem do trabalho de uma micropipeta. O aparelho segura o óvulo, enquanto uma microagulha injeta o espermatozóide. De acordo com o médico responsável pela Reprodução Humana da Fundação do ABC, Caio Parente Barbosa, em condições normais o processo de fertilização In Vitro necessita de pelo menos 100 mil espermatozóides, enquanto no ICSI, um já é suficiente.
A instituição é a única que oferece esse tipo de tratamento na região. O custo em clínicas partículas varia de R$ 3 mil a R$ 7 mil reais, dependendo do tipo de tratamento. Já na Fundação do ABC, os honorários são custeados pelo SUS (Sistema Único de Saúde), e os casais têm despesas apenas com o procedimento (R$ 550 para fertilização normal e R$ 750 com o ICSI) e medicação (no máximo R$ 300).
O setor de reprodução humana atende cerca de 10 casais por mês, com perspectiva de triplicar este número até o final do ano.
Informações e marcação de consulta pelo tel: (11) 4993-5401

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta