HIS17 | Healthcare Innovation Show Compre 1 convite e leve 2, e economize 50% durante a pré-venda! Saiba mais

Fundação do ABC investe sistema de reprodução

Publicidade

Os portadores de oligospermia (homens com baixo nível de espermatozóides) do ABC terão a partir deste mês, no setor de reprodução humana da faculdade de medicina da fundação do ABC, uma nova tecnologia adquirida pela instituição para a solução da doença. O novo equipamento, que esteve em fase de teste durante o mês de abril, foi adquirido por aproximadamente US$ 60 mil, e é capaz de fecundar o óvulo com apenas um espermatozóide vivo.
A eficácia garantida vem do trabalho de uma micropipeta. O aparelho segura o óvulo, enquanto uma microagulha injeta o espermatozóide. De acordo com o médico responsável pela Reprodução Humana da Fundação do ABC, Caio Parente Barbosa, em condições normais o processo de fertilização In Vitro necessita de pelo menos 100 mil espermatozóides, enquanto no ICSI, um já é suficiente.
A instituição é a única que oferece esse tipo de tratamento na região. O custo em clínicas partículas varia de R$ 3 mil a R$ 7 mil reais, dependendo do tipo de tratamento. Já na Fundação do ABC, os honorários são custeados pelo SUS (Sistema Único de Saúde), e os casais têm despesas apenas com o procedimento (R$ 550 para fertilização normal e R$ 750 com o ICSI) e medicação (no máximo R$ 300).
O setor de reprodução humana atende cerca de 10 casais por mês, com perspectiva de triplicar este número até o final do ano.
Informações e marcação de consulta pelo tel: (11) 4993-5401

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta