Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

FMUSP promove projeto de atendimento médico em Alagoas

Publicidade

Realizar 3,6 mil atendimentos em áreas básicas e diversas especialidades médicas é o objetivo do Projeto Bandeira Científica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Entre os dias 12 e 21 de dezembro, no período das férias, cem estudantes da FMUSP, acompanhados por 30 médicos e fisioterapeutas, prestarão assistência médica voluntária e traçarão um perfil de saúde da população dos municípios de Teotônio Vilela e São José da Tapera, ambos no interior de Alagoas, implementando ações preventivas e curativas de saúdes. Essas localidades foram escolhidas pelos coordenadores do projeto por terem alto índice de mortalidade infantil e integrarem a relação dos municípios mais carentes do Brasil. Teotônio Vilela, com 36 mil habitantes, localiza-se na região canavieira de Alagoas, sendo que 80% da população mora na zona urbana. A taxa de mortalidade infantil na região era de 43 para cada mil nascidos vivos, no ano de 2000. Localizado na região denominada ‘Microrregião da Batalha’, São José da Tapera possui 28 mil habitantes, dos quais 32% estão na zona urbana e 67% na zona rural. O município apresentava, em 2000, um índice de mortalidade infantil de 18 para cada mil nascidos vivos.
Este ano, o Projeto Bandeira Científica contará com a parceria da Universidade Federal de Alagoas, para que haja um acompanhamento permanente e preventivo, após a expedição. As consultas foram previamente agendadas pelos agentes de saúde locais. A seleção dos pacientes observou critérios de necessidade e gravidade das afecções. Haverá atendimento nas áreas de Clínica Médica, Ginecologia, Pediatria, Infectologia, Psiquiatria, Otorrinolaringologia, Oftalmologia e Fisioterapia. Serão realizados, ainda, exames laboratoriais e vacinações.
De acordo com o supervisor do Projeto Bandeira Científica, Prof. Dr. Carlos Eduardo Pereira Corbett, o objetivo da missão não se resume à assistência médica em nível primário, mas também prevê a realização de um inquérito epidemiológico, que reunirá dados sobre a condição sócio-econômica dos pacientes, doenças prevalentes, cobertura vacinal e aspectos gerais de saneamento básico e higiene. A partir dessas informações, será elaborado um relatório detalhado sobre as condições de saúde locais. Serão realizados, ainda, ciclos de palestras sobre educação em saúde para a população geral, programas de capacitação para agentes de saúde e médicos, além de atividades de pesquisa.
Após a expedição, a equipe do Projeto Bandeira Científica realizará, em conjunto com as instituições participantes, incluindo prefeituras e autoridades locais de saúde, uma análise e discussão detalhada das conclusões. Também serão elaborados relatórios para o Ministério da Saúde e uma apresentação para discussão dos dados e possíveis medidas práticas para otimização dos aspectos de saúde locais.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta