Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Falta de profissionais preocupa instituições de saúde

Publicidade

O emprego de tecnologia da informação em todas as camadas das instituições de saúde tem criado uma nova demanda por profissionais especializados na área. Mais do que um técnico ou analista de sistema, este profissional tem entender das especificidades do setor.
e receba os destaques em sua caixa de e-mail. 
A demanda criada pela indústria de soluções em TI e por hospitais públicos e privados cresceu de tal forma que, hoje, um profissional recém- formado em informática em saúde recebe até R$ 5 mil de salário inicial. “Há, no Brasil,  cerca de sete mil instituições de saúde e menos de 5% delas estão informatizadas. Por outro lado temos a indústria de software, soluções e consultoria em TI que também busca esses profissionais. Falta gente para atender a essa demanda”, enfatiza o diretor de ensino da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (Sbis), Renato Sabbatini.
Educação
Para a consultora de informática em saúde, Beatriz Leão, a falta de reconhecimento do informata em saúde como um profissional interdisciplinar, prejudica no processo formação, uma vez que faltam políticas de incentivo como bolsas para pesquisa científica para que eles possam colaborar com a implementação de sistemas no setor. Para a executiva, a falta de regulamentação da profissão não é um problema, mas o Brasil poderia aprender com países como Holanda, Suíça, Dinamarca, Canadá e Austrália que identificaram um conjunto de competências para os profissionais da área e capacitá-los para a tender as demandas existentes.
Por ser um profissional raro no mercado, uma das soluções do setor para sanar esta demanda é a capacitação profissionais de TI nos processos hospitalares e a qualificação de profissionais de saúde em tecnologia. De acordo com a CIO do Hospital Sírio Libanês, Margareth Ortiz, além da dificuldade de encontrar pessoas para o setor, reter estes profissionais tornou-se um grande desafio para os hospitais. “Existe uma tendência de comparar salários de hospitais para hospitais, e isso é um problema, pois na verdade quem vai roubar o profissional das instituições de saúde são as grandes empresas de TI. Uma solução para isso é estabelecer políticas eficientes de RH e ter salários compatíveis com o mercado que não seja o de saúde”.
Veja a matéria completa em nosso webcast.
Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/#!/sb_web e fique por dentro das principais notícias de Saúde.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta