Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

ESTUDO DO PRIMEIRO PAÍS DA AMÉRICA LATINA A IMPLEMENTAR O PROGRAMA NACIONAL DE TESTE HPV MOSTRA CONT

Publicidade

Piloto realizado no México mostra a eficácia do teste HPV e a viabilidade da implementação de programas de controle do câncer com base na população nacional

Um estudo divulgado recentemente no México – primeiro país na América Latina a implementar um programa nacional de rastreamento para os tipos de HPV de alto risco (HR-HPV) que podem causar o câncer cervical – sobre as causas e controle do câncer demonstra que utilização do teste de papilomavirus humano (HPV) em conjunto com o digene HPV test, fornecido pela QIAGEN, proporcionou a obtenção de melhores resultados no controle da doença. A análise comparou os resultados em relação ao teste Papanicolau (citologia) de rotina realizado com 50 mil mulheres.

O estudo piloto é a maior demonstração de rastreio primário de HPV realizada na América Latina. Conduzida como para determinar a implementação mundial e o desempenho do teste de DNA-HPV no sistema nacional de Saúde no México, a iniciativa confirmou a viabilidade e a eficácia de implementar o teste HPV como uma estratégia de rastreamento primário de câncer cervical em um programa nacional de base populacional.

“Os programas de base populacional que utilizam o teste HR-HPV podem melhorar a prevenção e o controle do câncer cervical na população mexicana e em outras populações onde o rastreamento por citologia é inadequado para detectar as lesões precursoras do câncer cervical,” concluiu o autor do estudo Dr. Eduardo Lazcano-Ponce, Diretor Executivo do Centro de Pesquisa da Saúde da População, do Instituto Nacional de Saúde Pública em Cuernavaca, México. “Nossos resultados oferecem uma forte evidência para justificar a implementação de programas de base populacional utilizando o rastreamento por DNA-HPV”, explica o especialista.

“Nosso trabalho oferece uma evidência clara para expandir o teste HPV no México e países semelhantes. Como um piloto de implementação prática, o estudo foi desenhado para indicar as questões e os problemas diários enfrentados pelos clínicos e administradores em um cenário clínico de rotina. E mesmo com essas considerações, o estudo demonstrou a implementação bem sucedida de uma estratégia de controle do câncer cervical com o teste HPV. Esse desfecho provavelmente terá um amplo impacto na América Latina, já que toda região enfrenta uma carga de câncer cervical persistentemente alta. Além disso, o estudo também pode ter impacto na Europa, onde alguns governos estão em processo de revisão dos programas nacionais de rastreio de câncer cervical,” explicou Dr. Attila T. Lörincz, co-autor do estudo e Professor de Epidemiologia Molecular no Wolfson Institute of Preventive Medicine em Londres.

As 50.159 mulheres avaliadas no estudo fazem parte do programa de seguridade social do México. Durante a avaliação receberam ambos os testes: citologia convencional e checagem do DNA-HPV utilizando o Teste digene HPV da QIAGEN (também conhecido como Captura Híbrida® 2 DNA-HPV).

Os resultados apurados mostraram que a sensibilidade clínica dos testes por DNA-HPV utilizando o Teste digene HPV é duas vezes maior do que a citologia convencional, detectando 93.3% de lesões pré-cancerosas e cancerosas em comparação com 40% para citologia. Uma melhor detecção pode permitir intervenções precoces de tratamento e a maior sensibilidade do teste HPV pode permitir intervalos maiores e, assim, fornecer melhor custo X benefício, observaram os autores do estudo.

Em países de receita média como o México, onde existe infra-estrutura de saúde para os exames de câncer cervical de rotina, mas as barreiras geográficas, culturais e econômicas impedem muitas mulheres de terem acesso aos exames de Papanicolaou com regularidade, o teste HPV é uma alternativa estratégica.

“O rastreamento por citologia cervical tem reduzido bastante a incidência de câncer cervical invasivo em países industrializados. Porém, esse método requer a repetição do teste Papanicolau em curtos intervalos, confirmação de anormalidades pela colposcopia, coleta de biópsia e confirmação histológica para tratar as lesões precursoras do cân

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta