Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Estado do Rio lança projeto para prevenir catarata infantil

Publicidade

Um grupo de médicos, além de especialistas de outras áreas do Estado do Rio de Janeiro, acaba de criar o Projeto Catarata Infantil – Abrindo Janelas para uma Vida Inteira. A entidade tem como objetivo informar às mães e tratar os bebês. A catarata infantil tem cura, mas precisa ser tratada logo. Essa é a principal mensagem que o grupo pretende passar às mães cariocas e fluminenses.
O projeto já conta com a colaboração do IBOL – Instituto Brasileiro de Oftalmologia, responsável pela realização de tratamentos e das cirurgias a um custo reduzido, que serão pagos com as doações. Os fatores genéticos ou hereditários são preponderantes no aparecimento da catarata infantil. Por essa razão, os cuidados devem ser tomados pelas futuras mães desde a gestação, com a realização do exame pré-natal. Para detectar o problema, o pediatra deve realizar o Teste do Reflexo Vermelho, muito simples, feito ainda no berçário da maternidade através de um aparelho conhecido como oftalmoscópio direto. Detectado o problema, os bebês devem passar por duas cirurgias00: a primeira deve acontece até os quatro meses de idade, e inclui a retirada do cristalino, uma lente transparente de dentro do olho. Nesse momento, a visão começa a ser recuperada e a melhoria é progressiva. Algumas sessões de estimulação visual logo após a cirurgia podem ajudar a acelerar a recuperação, que ocorre gradualmente. Até os dois anos, quando passará por uma segunda cirurgia, a criança deve usar óculos especiais. Nessa segunda intervenção, são colocadas lentes intra-oculares e a visão será, na maioria dos casos, recuperada.
Hospitais da rede pública do Rio de Janeiro como o Hospital Universitário do Fundão realizam o exame, normalmente, difícil de ser marcado. A terapeuta ocupacional Ana Helena Schreiber também será colaboradora do Projeto Catarata Infantil, além de outros especialistas. “A principal atuação da Terapia Ocupacional é a de orientar as famílias quanto ao desenvolvimento visual pós-cirurgia, já que esse desenvolvimento não será instantâneo e a estimulação vai acelerá-lo, inclusive evitando atrasos nas outras áreas”, destaca a terapeuta.
O projeto Catarata Infantil colocou à disposição da população um telefone e um endereço eletrônico para a obtenção de mais informações sobre o projeto. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (21) 2551-1960 ou pelo e-mail cataratainfantil@ibol.com.br .

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta