Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

EMS avalia quebra de patente como avanço para o setor

Publicidade

A patente do Lípitor no Brasil, detida pela farmacêutica Pfizer, estava programada para expirar no dia 28 de dezembro. No entanto, o Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro antecipou a data prevista e ?quebrou? a patente nesta última quinta-feira (26). 
e receba os destaques em sua caixa de e-mail.    
A EMS considerou acertada o fim da exclusividade de fabricação. ?O laboratório EMS considerou um grande passo para a indústria farmacêutica a decisão do TRF 2ª. Região, que coloca em domínio público a patente do medicamento mais vendido em todo o mundo para o combate ao colesterol. Agora, todos os outros laboratórios terão direito de produzir o medicamento?, afirmou a EMS, em comunicado ao mercado.
No mesmo julgamento, a liminar obtida pela EMS para fabricação do genérico do Lípitor foi revogada. Porém, com a expiração, a companhia é o único laboratório com registro para comercializar a versão genérica do medicamento. 
 
Visão Pfizer
Ao contrário da EMS, Pfizer se manteve contrária a quebra da patente. Em comunicado, a empresa afirmou: “a Pfizer acata, mas respeitosamente discorda dessa decisão. A empresa só poderá se manifestar sobre possíveis medidas ao tomar conhecimento do inteiro teor da decisão”
No mesmo dia em que a patente expirou, a Pfizer anunciou parceria com a Eurofarma para a produção da versão genérica do Lípitor. A previsão é de que o produto seja comercializado no mês de setembro. As companhias aguardam a aprovação de registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que, segundo a diretora de Sustentabilidade & Novos Negócios da Eurofarma, Maria Del Pilar Muñoz, deve sair nos próximos dias.    
Apesar do fim da exclusividade de fabricação do medicamento, no primeiro momento, a Pfizer – juntamente com a Eurofarma -, e EMS devem dominar o mercado consumidor desse produto.
Além da versão genérica, a EMS também irá apresentar ao mercado o similar de marca da atorvastatina, que se chamará Lipistat.
 
Esta semana, o laboratório venceu o pregão da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo para o fornecimento de 5.800.000 unidades do genérico ao Estado de São Paulo. De acordo com a companhia, com o pregão, o governo paulista economizou R$ 10,4 milhões.
 
A EMS colocou nas farmácias mais de 55 mil unidades do genérico, desde o último dia 16, quando iniciou a sua distribuição, comercialização que representa um valor aproximado de R$ 1,2 milhão. 
 
De acordo com a consultoria internacional IMS Healt, o Lipitor tem a maior receita no mercado mundial de medicamentos, com um faturamento de cerca de US$ 11 bilhões. O produto também é disponibilizado no Sistema Único de Saúde (SUS), e a chegada do genérico, segundo o vice-presidente de mercado da EMS, Waldir Eschberger Júnior, pode gerar economia de mais de R$ 50 milhões por ano aos cofres públicos.
Leia mais:
Pfizer e Eurofarma fecham acordo para genérico Lípitor
Você tem Twitter? Então, siga https://twitter.com/ e fique por dentro das principais notícias do setor.
 
 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta