Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Empresas suíças migram investimentos para o Brasil

Publicidade

Com a crise financeira mundial, as empresas suíças acabaram vendo no Brasil um porto seguro para seus investimentos e estratégias comerciais. “A Venosan (fabricante de meias medicinais), por exemplo, acaba de ampliar sua fábrica no Nordeste, para atender tanto o mercado brasileiro quanto latino-americano”, conta o responsável pelo departamento comercial e pelo contato com a Suíça da SwissCam, Jan Brunckhorst.
Além disso, indústrias como Schaerer Medical, SOB, Borer Chemie, Lemo, Hocoma, Arcomed e Sigg buscam, por meios próprios ou com representantes, ampliar mercado no Brasil.
De acordo com Brunckhorst, o País conta com a melhor posição entre os integrantes do BRIC. “O Brasil ganhou muita visibilidade na Suíça. As empresas estão fechando filiais em outros países, mas as filiais brasileiras ainda estão tendo lucros. Além disso, há menos problemas com pirataria, como acontece na China, a economia é mais estável do que na Índia, por exemplo, e a crise ainda não teve o mesmo impacto do que na Rússia.”
O ponto negativo fica por conta da regulação. “O registro demora muito, a burocracia é grande. É uma área em que vemos certo protecionismo do Brasil”, analisa Brunckhorst.
Os mercados potenciais para as empresas suíças são os de produtos de uso hospitalar, com tecnologia de alta precisão. “O mercado de varejo está saturado e os produtos suíços são mais caros, embora tenham uma percepção unânime de mais qualidade. Por outro lado, acreditamos que há um mercado grande para produtos de tecnologia mais avançada.”
Para estimular o turismo de saúde, outra vertente forte na avaliação da SwissCam, foi criada a organização Swiss Health. “A expectativa é que, no próximo ano, tenhamos, na Feira Hospitalar, empresas que organizam viagens médicas”, diz a responsável pela organização das feiras internacionais para empresas suíças, Hanna Weisskopf.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta