5º CONAHP debaterá “O Hospital do Futuro: O Futuro dos Hospitais”. Faça já sua inscrição → Clique aqui

É possível dar acesso móvel e seguro para o corpo clínico?

O banco de dados é bem mais precioso de uma empresa. É através dele que executivos tomam decisões pautadas em histórico, conhecem melhor o público com o qual interagem, registram os processos de trabalho, entre outras muitas possibilidades oferecidas pelo cruzamento das informações.

Justamente por ser tão valioso, é natural que o banco de dados viva cercado de cuidados. É necessário, principalmente na área da saúde que é carregada de normas e diretrizes, garantir a segurança e integridade dos elementos. Mas como fazer isso?

A diferença entre segurança e integridade

Quando existe uma busca pela proteção dos dados, é comum que haja dois focos: um deles é assegurar que os dados não serão acessados e prejudicados por pessoas que não fazem parte da corporação (segurança), o outro, é que as pessoas da corporação tenham acessos controlados aos conteúdos (integridade). Por exemplo, hoje é possível limitar os acessos da equipe. Se no computador do hospital os profissionais podem editar documentos, pelo celular, podem fazer apenas a leitura de arquivos.

Existem excelentes soluções voltadas para essa questão e que garantem a preservação dos dados. Porém, para garantir a segurança de acesso às informações por qualquer aparelho, é preciso dar aos gestores de tecnologia um local único de administração, onde, através de nuvem, a equipe de TI seja capaz de aplicar a política de segurança da empresa.

Desta forma, pode-se dar comandos como níveis de acesso por pessoas e por aparelhos. Uma boa amostra de segurança é conseguir configurar detalhes como o bloqueio do acesso de computadores remotos que estejam com antivírus desatualizado. Ou seja, todos os detalhes podem ser planejados e executados com facilidade.

O corpo clínico trabalha com acesso móvel?

Com a tecnologia invadindo a vida das pessoas, é natural que profissionais deem preferência para soluções que facilitem sua vida profissional. Acompanhar uma evolução de um paciente de maneira digital, citando um caso comum, diminui as chances de gastos com procedimentos duplicados e facilita a comunicação entre a equipe, que fica sempre atualizada.

Isso fica ainda mais forte na nova leva de formandos, que fazem parte de uma geração conectada e que já está completamente habituada às facilidades do meio digital. Oferecer algo tradicional para esse perfil pode, inclusive, desmotivar os profissionais.

Entenda melhor a solução que oferecemos para a área da saúde e veja que é possível modernizar procedimentos de uma forma bastante segura.

       

Deixe uma resposta