Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Determinantes sociais, saúde do idoso, aborto e rastreamento do câncer

Publicidade

O terceiro dia do 18º Congresso Mundial de Epidemiologia e 7º Congresso Brasileiro de Epidemiologia terá uma atração à parte: o lançamento do relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre determinantes sociais. A apresentação será feita, de manhã, pelo chefe do Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública do London of College, Sir Michael Marmot. Esta é a primeira vez que Marmot apresentará no Brasil o relatório da OMS, e que contém uma advertência: tecnologia não significa sinônimo de saúde, ao chamar a atenção para a necessidade de investimentos pelos governos em melhores condições de vida para os cidadãos. Marmot também falará sobre os próximos passos relacionados às recomendações contidas no relatório da OMS.

O secretário-executivo da Comissão Nacional das Determinantes Sociais (CNDS), Alberto Pellegrini, da Fiocruz, participará de uma das sessões coordenadas por Marmot, oportunida em que abordará o que poderá ser feito pelo Ministério da Saúde para que o Sistema Único de Saúde (SUS) incorpore as recomendações contidas no relatório coordenado por Marmot.

Além das determinantes sociais em saúde, estarão em destaque a saúde do idoso, a questão do aborto, o rastreamento do câncer e o desafio representado pela necessidade do controle da dengue. Também serão apresentados novos modelos estatísticos, utilizados na prevenção de doenças. Richard Peto, da Inglaterra, abordará as novas estratégias para a realização de estudos prospectivos.

Um dos maiores especialistas mundiais em Terceira Idade, o brasileiro Alexandre Kalache falará sobre um tema que está diretamente ligado às determinantes sociais: De cidades saudáveis a espaços urbanos “amigos da idade”: movimentos globais em andamento. E Cláudio José Struchiner vai falar sobre os aspectos moleculares, genéticos e evolutivos relacionados à epidemiologia das doenças transmitidas por vetores.

Promovidos pela Associação Internacional de Epidemiologia (IEA, na sigla em inglês) e pela Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco), os dois congressos reúnem na capital gaúcha, até amanhã, especialistas de mais de 50 países. Durante o evento, serão apresentados e discutidos mais de seis mil comunicações cientificas sobre os mais variados aspectos da saúde pública.

Outros destaques desta 3ª feira (23/09):

Programas de transferência de renda na América Latina: impacto na saúde;

Vigilância de doenças e agravos não transmissíveis no Brasil;

Ensaios clínicos em doenças tropicais: boas práticas clínicas, análise de dados e metanálise;

Situação da hanseníase no Brasil.

Assessoria de Imprensa: Juana Portugal e Edmilson Silva – Tels.: 51-3364-9805 / 9808

e-mails: juana.portugal@gmail.com / edmilson.oliveiradasilva@gmail.com

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta