Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Depois de investir na DASA, Fundo Pátria volta à Medicina Diagnóstica!

Publicidade

Depois de ter sido um dos grandes investidores do Projeto DASA, da idealização do projeto até o seu IPO, o Fundo Pátria volta ao setor de medicina diagnóstica, buscando praças que não tenham presença nem do DASA ou do Fleury. Como a maior parte dos serviços de diagnóstico no Brasil têm menos de duas unidades, o setor ainda é extremamente fragmentado, o que permite o nascimento de novos grandes players. E a sua área de atuação, permite alguma consolidação?

Atenciosamente,

Fernando Cembranelli

Equipe EmpreenderSaúde

Pátria avança na área de medicina diagnóstica

Beth Koike e Ana Paula Ragazzi |De São Paulo
03/06/2011

O fundo de private equity Pátria, ex-acionista da Dasa, está avançando a passos largos na consolidação de sua empresa de medicina diagnóstica – batizada como Alliar. Criada há apenas seis meses, a empresa já adquiriu quatro laboratórios de exames de imagem e seu faturamento é de cerca de R$ 200 milhões. A meta da gestora de recursos é dar continuidade à estratégia de aquisições até que a empresa alcance porte para fazer um IPO (oferta inicial de ações) e concorrer com Dasa e Fleury, segundo o Valorapurou.

O Pátria está montando uma rede focada, principalmente, na área de exames de imagem, que proporcionam maior rentabilidade, mas não está totalmente descartada a compra de laboratórios de análises clínicas.

A Alliar comprou as empresas de medicina diagnóstica Axial, que tem 10 unidades em Belo Horizonte, a Plani que é dona de sete unidades laboratorias em São José dos Campos e Jacareí, no interior de São Paulo, além de outras duas empresas de medicina diagnóstica localizadas em Campo Grande (MS) e em Juiz de Fora (MG). A estratégia inicial da Alliar é atuar em praças em que Dasa e Fleury ainda não têm forte presença. Procurado pelo Valor, o Pátria informou que não comenta sua política de investimentos.

Ainda dentro do projeto de consolidação, o Pátria está montando uma equipe de executivos para a Alliar. Entre os nomes já fechados está o de Rodrigo Abdo, que durante oito anos trabalhou no Fleury, e na nova empresa do fundo será diretor de expansão. Procurado pela reportagem, Abdo informou que não poderia se pronunciar sobre o assunto.

O principal executivo da Alliar é Daniel Sorrentino, um dos sócios do Pátria. Ele tem ao seu lado, como conselheiros, Marco D’Ippolito e Ricardo Scavazza, também sócios da gestora de recursos. Scavazza é diretor vice-presidente financeiro da Anhanguera Educacional, e D’Ippolito, conselheiro da empresa de segurança Zatix – companhias em que o Pátria é acionista.

Mas o principal entusiasta da área de medicina diagnóstica é Alexandre Saigh, sócio do Pátria e que presidiu o conselho da Dasa até 2009, participando ativamente do processo do IPO.

O mercado nacional de medicina diagnóstica movimenta cerca de R$ 12 bilhões por ano e conta com 8 mil empresas, que juntas possuem 19 mil unidades laboratórios. “A maioria das empresas de medicina diagnóstica tem em média duas unidades. O mercado nacional é extremamente pulverizado mesmo com as consolidações puxadas por Dasa e Fleury”, disse Gustavo Campana, sócio da Formato Clínico, consultoria especializada do setor.

As últimas grandes movimentações foram feitas por esses dois grupos. A Dasa, maior empresa de medicina diagnóstica, já fez 16 aquisições desde 2005, sendo que uma das transações mais importantes foi a associação com a rede carioca MD1, do empresário Edson Bueno, realizada em agosto. Com essa operação, a Dasa se tornou uma empresa com faturamento de R$ 2,1 bilhões.

Três meses depois, o Fleury contra-atacou, adquirindo a também carioca Lab’s, que pertencia à Rede D’Or, por R$ 1 bilhão. A receita líquida combinada ultrapassa a casa de R$ 1,2 bilhão.

Para conhecer o Fundo Pátria: www.patriainvestimentos.com.br

Fonte: Valor Econômico, 03/06/11

Foto: Alexandre Saigh, sócio do Fundo Pátria

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta