Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Contratação de urgência

Publicidade

O secretário de Saúde de Buenos Aires, Claudio Zin, informou ontem (1º) que 2 mil médicos serão convocados para trabalhar nos hospitais da cidade durante os meses que faltam para terminar o inverno. A falta de médicos no sistema de saúde chega a cerca de 40%, porque também há profissionais doentes, disse o secretário, em entrevista coletiva.
De acordo com Zin, há cinco ou seis tipos de vírus em circulação na capital argentina. O secretário disse que, nas duas próximas semanas, esperam-se picos de contaminação por esses vírus no país, “de modo que poderá haver uma quantidade muito grande de pessoas afetadas” na Argentina nesse período. Ele explicou que 5% dos casos apresentam complicações. Desse percentual, 30% têm complicações graves e chegam a precisar de terapia intensiva.
Conforme a agência de noticias argentina Telam, o ministro da Saúde, Jorge Lemus, afirmou que, por enquanto, “não haverá suspensão de transportes [públicos], nem de espetáculos” e que os hospitais estão trabalhando com os insumos, equipamentos e medicamentos necessários.
A Argentina tem 1.587 casos confirmados de influenza A (H1N1) – gripe suína, incluindo 26 mortes, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta