Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Consumidor de tecnologia

Publicidade

Há três anos, o Hospital Professor Edmundo Vasconcelos, de São Paulo, iniciou um processo de transformação de visão e recursos tecnológicos como benefício aos seus clientes. Neste ano, após muitos estudos e investimentos, o hospital iniciou a implantação de inúmeras soluções tecnológicas, que modificaram a forma como todos os processos são realizados. Isso ocorreu juntamente com a aquisição de novos equipamentos e a mudança na forma de atendimento feito por seus funcionários. Tantas melhorias devem ser observadas já em 2006, como um aumento da capacidade de atendimento em até 30% de um total de 4.500 que passam pelo hospital diariamente. ?Essas mudanças acontecem graças a um grande esforço interno dos nossos profissionais?, explica Osmar dos Santos, gerente de TI. Grande parte dos programas implantados foi desenvolvida pela equipe de Santos, que teve ajuda de uma empresa de consultoria. ?Investimos nesta consultoria cerca de 200 mil reais por ano, um valor baixo pelo tamanho do nosso projeto?, conta Osmar.
O projeto de informatização está apenas no começo de sua implantação, garante o gerente. Hoje, a tecnologia começa a ser utilizada pelo paciente, que consegue marcar suas consultas e exames pelo site do hospital a qualquer hora do dia ou da noite. A partir daí, ao chegar para o atendimento suas informações entram para um banco de dados ao qual se juntará todos os exames que ali realizar, bem como os laudos e diagnósticos. ?A inovação facilita o trabalho do médico, que pode consultar exames anteriores, além de melhorar a qualidade do atendimento ao paciente?, acredita Osmar dos Santos.
Este novo sistema que vai permitir futuramente que o cliente receba um telefonema com uma mensagem automática em sua casa lembrando a hora do seu exame ou consulta, foi integrado aos equipamentos de telefonia do hospital. Desenvolvido em ASP para acesso ao banco de dados relaciona o SQL que já existe. Esta aplicação gerencia desde a página do servidor até o acesso ao banco de dados.
Segundo o gerente de TI, o hospital inovou também no serviço de internet nos apartamentos de seus pacientes. ?Hoje, são 25 máquinas disponíveis e mais 100 estão para chegar?, conta Osmar. Todos os quartos estão preparados para terem os computadores conectados à rede, auxiliando no entretenimento e até mesmo no trabalho daqueles que estão internados ou seus acompanhantes.
Para que isso fosse possível, houve um investimento em hardware, com servidores e máquinas da ordem de 800 mil reais. ?Se ainda fôssemos comprar soluções fora, gastaríamos pelo menos de 4 a 5 milhões de reais?, diz Osmar, lembrando que as soluções foram desenvolvidas dentro do hospital.
Economia de tempo e gastos
Dentro das inovações, o Hospital Edmundo Vasconcelos preparou também um novo sistema de reconhecimento de voz para que os laudos de exames com imagens, como ressonância magnética, ultrassom e tomografia, pudessem ter sua emissão agilizados e facilitados. O sistema tem como base um equipamento Philips, composto de um software e microfone acoplado ao computador, instalado no setor de diagnóstico por imagem. ?Hoje o hospital realiza, por exemplo, cerca de 60 ressonâncias por dia, sendo que cada uma resulta num laudo de 2 páginas que demorariam antes 4 dias para serem entregues ao paciente. Com o novo sistema, enquanto o médico escolhe as imagens, vai ditando no microfone o laudo e este já aparece na tela. Depois é só imprimir e conferir, ou seja, o paciente leva o exame para casa no mesmo dia?, explica Osmar.
O processo está sendo aplicado no hospital há cerca de 70 dias e espera-se um resultado não somente na rapidez do processo, mas também em uma economia de 40% do atualmente gasto hoje. Não serão mais necessários digitadores, secretárias e mais máquinas para estes profissionais, sem contar que o hospital poderá atender um maior número de clientes. ?O principal é que o sistema evita os possíveis erros que poderiam acontecer na digitação e interpretação dos exames, que até então eram feitos a mão pelo médico e passados ao digitador?, diz Osmar, que lembra ainda que a partir do próximo ano a questão da segurança do hospital contará também com implementações de novas tecnologias ainda a serem desenvolvidas.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta