Semana da Saúde 2017 10 webinars gratuitos sobre as 5 principais tendências da saúde. Reserve seu lugar! Clique aqui

Conheça mais sobre a história do Hospital IGESP

Publicidade

O Hospital IGESP, fundado em 1956 pelo Dr. José Fernandes Pontes, teve, em sua origem, a dedicação para a área de Gastroenterologia, mas, após duas reestruturações, tornou-se um hospital geral.

O CEO da instituição, Dr Julio Cesar Lobato , é médico especializado em urologia e, ao longo da carreira passou a trabalhar com auditoria, entrando no universo da gestão em saúde. Trabalhou no Trasmontano por 10 anos, quando foi convidado para ser Diretor Executivo do grupo Notredame Intermédica – grupo que admira bastante, especialmente nas pessoas do Paulo Barbanti e de Irlau Machado, respectivamente fundador e CEO da instituição. Em certo momento, há dois anos, foi convidado para voltar para o Trasmontano, dono do hospital IGESP, com foco em recuperar a saúde financeira da organização.

“Tivemos que fazer um choque de gestão violento e voltar a ter saldo positivo no Hospital, que é o que está acontecendo hoje.” O básico, segundo ele, foi uma mudança de cultura do grupo e, mais especificamente no hospital, uma readequação e profissionalização da instituição, com a entrada de especialistas do mercado. Além da cultura, houve a necessidade de implementação e revisão de processos, de plano de carreira, de cargos e salários.

“Reduzir custos é a primeira coisa, é onde você vê o maior resultado em uma situação com a que estávamos”, disse Julio. Para isso, houve a renegociação de todos os contratos, conversa com as equipes médicas para haver readequação de modos de trabalho, diminuindo ineficiências que haviam na gestão.

Com isso, o hospital passou a ter caixa para iniciar investimentos expansão e reorganização de algumas áreas. Eles disponibilizaram 10 novos leitos de UTI e estão em processo de 28 novos de internação, modernizaram as instalações e, segundo a gestão, passaram a ter maior satisfação do cliente final.

Quando o hospital foi adquirido pelo grupo Trasmontano, a instituição passou de gastroenterologia para um status de Hospital Geral, com 250 leitos, capacitado para realização de cirurgias gerais e atendimentos de alta complexidade. “Começou do zero e o Fernando Moredo, presidente do grupo, foi mentor da instituição para que ela chegasse até aqui.” Logo que o Hospital foi adquirido, começou-se uma reforma. Depois de alguns anos, com a capacidade de investimento do grupo, foi construída uma torre de 20 andares. “A visão é ser um hospital geral de alta complexidade, oferecendo atendimento de qualidade ao associado do próprio grupo e às operadoras parceiras”.

Atualmente, cerca de 60% dos atendimentos são voltados para associados do grupo e os outros 40% de outros convênios. E, para Dr. Lobato,esta característica aponta um diferencial da organização, pois atesta a parceria do hospital com os planos de saúde associados em uma relação de mútuo benefício.

A carteira do grupo já chegou a ter 60, 70% de pacientes idosos. Hoje, este número é de 30%, mas o histórico trouxe uma expertise para a instituição no tratamento de pacientes nesta faixa etária.
“Nós primamos pela qualidade, pela redução de custo, pela agilidade no atendimento, pela resolutividade e pela redução da média de permanência do paciente sem redução da qualidade”, disse o CEO.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta