HIS17 Já emitiu sua credencial gratuita para o HIS '17? Já são +1.800 profissionais! Clique aqui

Como a análise de dados pode otimizar a gestão

Créditos: Creative abstract healthcare, medicine and cardiology tool concept: laptop or notebook computer PC with medical cardiologic diagnostic test software on screen and stethoscope on black wooden business office table with selective focus effect

Em plena era digital ainda há unidades de saúde que estão sofrendo com problemas de agendamento de pacientes e vendo os níveis de produtividade diminuírem perigosamente devido a verdadeiros vícios, como a insistência de fazer grande parte de sua parte administrativa de forma manual. Pior: o grau de satisfação dos pacientes também acaba reduzido, fazendo com que migrem para outras unidades concorrentes. Por outro lado, a própria medição da experiência do cliente no setor também é prejudicada, já que faltam meios de fazê-la de forma rápida e eficiente. A adoção de ferramentas digitais poderia não só acabar com estes problemas, como otimizar o atendimento e ainda dar novo gás à própria equipe de trabalho ao automatizar tarefas diárias e evitar retrabalhos causados por erro humano.

A integração de tecnológica de aplicações administrativas na área médica já uma realidade em diversas unidades em todo o mundo, reduzindo custos operacionais e garantindo maior eficiência da equipe e maior satisfação do paciente. Métodos de programação obsoletos baseados em papel esbarram em diversos agravantes para criar uma situação de organização precária e desânimo da equipe, como trocas de turnos não programadas, equipe insuficiente e atribuição de tarefas não relacionadas à especialização para suprimento de pessoal. No entanto, a integração de processos que gere dados analisáveis pode reverter a situação com facilidade e economia.

Isso porque a análise de dados é capaz de prever situações rotineiras e de extrema importância nas unidades de saúde, como a demanda dos pacientes e os requisitos da força de trabalho para solucionar problemas de programação que afetam negativamente o moral da equipe e o cuidado do paciente. A escassez de funcionários, por exemplo, pode ser superada com a automatização de rotinas, potencializando o atendimento como um todo, reduzindo custos de contratação e otimizando as horas de trabalho, já que uma única ferramenta é capaz de gerenciar diferentes sistemas de informação, melhorando o fluxo de trabalho.

Por outro lado, a redução da manipulação de dados gera informações mais precisas, ao mesmo tempo em que permite o seu compartilhamento entre os sistemas clínicos e financeiros, assegurado maior assertividade nas tomadas de decisão.

A otimização da rotina diária, se dá em diversos aspectos, gerando dados analisáveis em cada um deles, mostrando o grau de assertividade de cada área ou setor, da recepção à enfermagem, com compartilhamento de informações em tempo real. Cada paciente tem seu registro eletrônico atualizado permanentemente por todos os integrantes da equipe que o atender, gerando informações relevantes que garantem ainda mais clareza, transparência e objetividade no tratamento, gerando diferencial competitivo para a empresa de saúde. Tudo isso com redução de custos e total segurança, baseado em um sistema de redundância com espelhamento do banco de dados.

Dessa forma, a análise de dados colabora para a otimização da rotina clínica, melhora a experiência de atendimento, reduz custos, permite a planificação da força de trabalho e aprimora a gestão na saúde.

Sua instituição de saúde já tem ferramentas tecnológicas para análise de dados eficaz e em tempo real?

       

Deixe uma resposta