✉️ NEWSLETTER Assine gratuitamente e atualize-se semanalmente Assinar

Com investimento de 1,2 milhões de reais, dois jovens empreendedores inauguram a primeira unidade da Leve Saúde, clínica multidisciplinar integrada, no dia 21 de fevereiro, no Rio de Janeiro

Publicidade

Com o endurecimento das regras da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementa) e a saúde pública deixando a desejar em vários aspectos, as clínicas multidisciplinares ganham cada vez mais espaço nas grandes cidades. De olho neste cenário, dois jovens empreendedores João Spínola (33) e Fabianne Salgado (26) se preparam para inaugurar a primeira unidade da Leve Saúde, clínica multidisciplinar integrada, no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro.

No mercado de saúde há 14 anos, João Spínola, sócio-diretor da Leve Saúde, traz para o empreendimento todo um know-how ao participar do núcleo de gestão de 14 clínicas médicas. “Esta experiência foi fundamental para aprender sobre o mercado assistencial de saúde e fomentar a ideia de construir a própria rede de clínicas, visando levar para os cariocas um padrão de qualidade no atendimento que não se encontra em qualquer lugar”, explica João que completa. “A ideia de criar a Leve Saúde surgiu em meados do primeiro semestre de 2016, no ano em que as clínicas populares em São Paulo deram um avanço grandioso. Foi a partir daí que, eu e Fabianne, começamos a estudar cases que apontavam para um mercado carente em saúde e disposto a pagar por um bom atendimento médico devido à falta de estruturação na saúde pública, dificuldade de contratação de planos de saúde individual e o aumento do desemprego”.

Com consultas a partir de R$ 80,00, a Leve Saúde contará com um corpo médico de mais 40 profissionais em mais de 20 especialidades. Projetada para atender seus clientes com 100% de acessibilidade em um espaço de 510m², a clínica, que está localizada em um dos pontos mais estratégicos do bairro carioca, possui 13 consultórios, sendo 1 consultório para terapias, 2 para Ginecologia e Obstetrícia, 1 pediátrico, 1 Oftalmologia e 8 para as demais especialidades, além de possuir salas para exames de imagens e laboratoriais,  uma sala para enfermagem e três recepções.  “Queremos otimizar o tempo do cliente com qualidade e sem burocracia”, declara João.

Visando os planos de saúde cada vez mais insustentáveis financeiramente, a Leve Saúde prevê realizar 4,5 mil atendimentos por mês. “Após 12 meses teremos capacidade de realizar mais de 9 mil consultas na estrutura que temos. Nosso objetivo é nos tornarmos referência em qualidade, para nosso clientes, médicos e colaboradores Tudo foi pensando para oferecer praticidade com qualidade”, enfatiza João, que junto com sua sócia Fabianne, já estudam expandir a Leve Saúde para a zona Oeste, baixada fluminense e Niterói.

       
Publicidade

Deixe uma resposta