Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Coleções biológicas ganham financiamento de R$ 5 milhões do BNDES

Publicidade

As coleções biológicas fornecem amplo material de pesquisa e de estudo sobre a biodiversidade. O projeto Complexo de Preservação e Difusão dos Acervos Científicos da Fiocruz, desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) foi aprovado pelo Programa de Preservação de Acervos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o período de 2010/11. As coleções Helmintológica, Malacológica, Entomológicas, de Artrópodes Vetores e da Febre Amarela serão as principais beneficiadas pelo projeto, que contempla o valor total de quase R$ 5 milhões. Destes recursos, 50% serão direcionados para as coleções biológicas, além do sistema de combate a incêndios.
O projeto foi desenvolvido em parceria com a Casa de Oswaldo Cruz (COC) e com o Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), duas outras unidades da Fiocruz. O IOC é o responsável pelo componente biológico, a COC pelo componente arquivístico e o Icict pelo componente bibliográfico.
E foi enquadrado na modalidade Âncora Aglutinador e visa estabelecer a infraestrutura destinada à preservação do patrimônio científico e cultural, além da gestão da qualidade e do conhecimento, tendo a conservação preventiva e a preservação como eixos estruturantes de sua política institucional.

Visão integrada
Para o gestor de Coleções Científicas do IOC, Arion Tulio Aranda, o caráter de inovação da proposta consiste, principalmente, em promover ações conjuntas entre acervos biológicos, bibliográficos e de arquivos, que tenham interface direta entre si e que possam agregar ainda mais valor as informações disponibilizadas conjuntamente. ?O projeto vai possibilitar a instalação de plataformas multiusuários para a digitalização e a reprodução de imagens dos acervos de arquivos, bibliográfico e museológico (coleções biológicas, peças museológicas, documentos textuais e iconográficos), além da instalação de equipamentos de segurança para detecção e combate a incêndio nas áreas de guarda dos acervos de arquivos das coleções biológicas e bibliográfico da seção de obras raras abrigadas no Castelo Mourisco?, explica.
O gestor destacou que o projeto contribuirá para a adoção de medidas de ampliação e aprimoramento das condições de infraestrutura das coleções biológicas, para modernização por meio do gerenciamento informatizado e a geração de imagens digitalizadas dos acervos, que possibilitarão mais qualidade aos acervos contemplados. ?A escolha do componente bibliográfico, documental e museológico que compõem este projeto, a partir de sua correlação com o componente biológico, fundamenta uma gestão integrada entre acervos localizados em diferentes unidades da Fiocruz.
A unidade conferida por este projeto de estruturação do Complexo de Acervos Científicos da Fiocruz valoriza e retém a memória histórica dos acervos, recupera todo seu potencial informativo no momento em que o congrega virtualmente, além de possibilitar maior divulgação dos acervos. Essas ações geram maior visibilidade em demanda de pesquisa e serviços, além de disseminar a informação de forma também integrada?, destaca Arion.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta