Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Centrinho de Bauru qualifica professores para deficientes auditivos

Publicidade

Cerca de 120 professores do ensino regular das redes pública e particular iniciaram neste mês o Curso de Capacitação de Professores de Deficientes Auditivos, oferecido gratuitamente por uma equipe do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP (Centrinho), de Bauru (SP). O curso faz parte do processo de inclusão desenvolvido por duas unidades do Centrinho que tratam de pessoas deficientes auditivas e surdas: o Centro Educacional do Deficiente Auditivo (Cedau) e o Núcleo Integrado de Reabilitação e Habilitação (Nirh), informa a Assessoria de Comunicação do Centrinho. O primeiro atua com crianças de zero a 12 anos, com deficiência auditiva e usuárias de aparelhos de amplificação sonora individual. Já o Nirh trabalha com pessoas surdas, com idade entre sete e 30 anos. Ambos têm como foco a inclusão do deficiente auditivo na sociedade e no mercado de trabalho. “No contexto em que trabalhamos, é fundamental preparar o professor para o convívio saudável e eficiente dentro da sala de aula”, diz a pedagoga Maria José M. B. Buffa, coordenadora das duas unidades do Centrinho.
Relação professor/aluno no processo ensino-aprendizagem, inclusão escolar, adaptações curriculares e avaliação são alguns dos temas abordados no curso, que tem carga horária de 32 horas, com 8 horas/aula por mês.
O Centrinho oferece cursos de capacitação em deficiência auditiva para professores que dão aulas, no ensino regular, às crianças pacientes da instituição. Desde 1994, habilitou 681 professores, com cursos, seminários e palestras. Só em 2003, foram qualificados 207 educadores das redes pública e privada. Para este ano, a previsão é oferecer treinamento a mais 122.
Eles foram divididos em dois grupos: 28 professores que, em suas salas de aula, têm alunos do Cedau e 94 que lecionam no ensino regular para integrantes do Nirh. As duas unidades do Centrinho recebem pacientes de Bauru e região. O Cedau desenvolve a oralidade com atividades pedagógicas, enquanto o Nirh ensina Língua Brasileira de Sinais (Libras) a pacientes com perda auditiva profunda, além de auxiliá-los no encaminhamento ao mercado de trabalho.
No ano passado, 10 educandos foram contratados por empresas de Bauru. Corais nas duas unidades auxiliam a reabilitação dos alunos que dele participam. Os professores são informados sobre o curso pelo próprio Centrinho e pela Diretoria Regional de Ensino, Secretaria Municipal de Educação e diretoria de escolas particulares, que apóiam a iniciativa desde que a idéia foi implantada, na década de 1990.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta