Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Brasil recebe especialistas internacionais em câncer do pulmão

Publicidade

Acontece de 18 a 21 de março, no Guarujá (SP) a LALCa 2004 – I Conferência Latino-Americana de Câncer de Pulmão. “Trata-se do primeiro encontro internacional sobre o assunto realizado na América Latina, de extrema importância por promover a troca de experiências entre profissionais de diversos países e trazer à tona uma discussão que não pode mais ser adiada”, afirma a dra. Nise Yamaguchi, presidente da Sociedade Paulista de Oncologia Clínica e uma das presidentes do encontro. Durante quatro dias, serão apresentados painéis e palestras que abordam desde a prevenção do câncer pulmonar por meio do anti-tabagismo até as mais recentes descobertas em biologia molecular para o tratamento da doença.
No dia 18 de março haverá o painel Alimta no Tratamento Sistêmico do Mesotelioma, apresentado pelo oncologista clínico dr. Jorge Otero, diretor médico da Lilly Oncology. O foco da apresentação será a Alimta, uma combinação de drogas recentemente aprovada pelo FDA (Food and Drug Administration) e que se constitui na mais nova esperança para o tratamento do câncer de pleura.
Outro destaque da LALCa é a abordagem dos chamados medicamentos inteligentes, uma nova geração de drogas e substâncias que, baseadas nos princípios da biologia molecular, conseguem atacar diretamente o tumor, poupando os órgãos vizinhos. Essa linha de tratamento vem ganhando cada vez mais espaço no meio médico, uma vez que seus resultados são animadores e menos prejudiciais à saúde do paciente submetido à terapia.
Biologia Molecular
Para fazer a introdução ao assunto Biologia molecular do câncer de pulmão, no primeiro dia da Conferência, foi convidada a dra. Marileila Garcia, especialista em Genética Molecular e professora no Departamento de Medicina da Divisão de Oncologia Médica da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos. Segundo a especialista, “os resultados dos estudos de sua equipe, apesar de preliminares, têm confirmado a importância de se entender o contexto molecular do tumor para poder propor o tratamento mais efetivo”.
Para falar sobre o antitabagismo, a LALCa receberá o oncologista dr. Antônio Pedro Mirra, coordenador do Registro de Câncer de São Paulo, do Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da USP – que participará do painel Mecanismos de Dependência do Tabaco, Políticas Antitabagismo e de Controle na Emissão de Carcinógenos Ambientais em Países da América Latina – e o dr. Paul Bunn Jr., especialista norte-americano em Oncologia, ex-presidente internacional da American Society of Clinical Oncology (ASCO), atualmente diretor do Centro do Câncer da Universidade de Colorado, em Denver, e professor de Medicina no Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Colorado.
Outro aspecto que será levantado durante a LALCa 2004 é a importância do rápido diagnóstico. E neste caso, a disparidade entre países pobres e ricos também contribui para o aumento dos índices de morte na América Latina. Segundo Bunn, “os níveis de sobrevivência para pacientes diagnosticados com câncer de pulmão são mais altos – 15% – em países desenvolvidos do que em países em desenvolvimento – 5%. Isto provavelmente reflete dois fatores: diagnóstico precoce e melhores tratamentos em países desenvolvidos”.
O especialista em cirurgia torácica José Antônio Figueiredo Pinto, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, abrirá, no dia 20 de março, o painel Avanços na Cirurgia de Lesões Neoplásicas do Trato Respiratório, no qual serão apresentados alguns dos principais pontos da cirurgia torácica em câncer de pulmão. Entre eles as maneiras de se selecionar adequadamente os pacientes que serão submetidos à cirurgia, como forma de beneficiá-los no tratamento. Para isso, é usado o PET Scan, um tomógrafo que serve para localizar tumores pequenos, além do uso da biopsia de gânglios linfáticos mediastinais.
Outro assunto em pauta são os limites da ressecção, ou seja, em casos de câncer de pulmão, qual a menor quantidade do órgão a ser retirada, de maneira que se obtenha bons resultados. Mais uma questão importante e que tem gerado controvérsias no meio médico é a cirurgia vídeo assistida. Trata-se de um procedimento cirúrgico menos invasivo e que tem o auxílio de câmeras de vídeo. “A cirurgia vídeo assistida é muito usada em cirurgia torácica, mas ainda causa polêmica a sua eficiência na retirada do câncer de pulmão”, explica o dr. Figueiredo Pinto.
A LALCa 2004 é organizada pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), com o apoio do South American Office for Anticancer Drug Development (SOAD), Federación Latino Americana de Sociedades de Cancer (FLASCA), Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, Grupo Brasileiro Oncológico Cooperativo, Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp – Botucatu), Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML), Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBR), Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) e Sociedade de Cancerologia do Rio Grande do Sul (SOCAN-RS). A American Society of Clinical Oncology (ASCO) e a International Association for the Study of Lung Cancer (IASLC) são as mentoras co-patrocinadoras do evento, que tem sido promovido regularmente por essas duas instituições em várias outras regiões do mundo.
Serviço:
I Conferência Latino-Americana de Câncer de Pulmão – LALCa 2004
www.lungcancer.com.br
Local: Casa Grande Hotel, Guarujá, SP
Informações sobre inscrição: (11) 3849-8263 ou 3849-0379
www.meetingeventos.com.br

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta