Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Brasil e França debatem estratégias para saúde

Publicidade

Brasil e França se preparam para dar suas contribuições nas duas grandes conferências que serão realizadas em 2012, no que diz respeito à saúde ambiental: Fórum Mundial da Água, em Marselha, na França, e a Rio + 20. No 1º Seminário Franco-Brasileiro sobre Saúde Ambiental, que ocorre na Fiocruz Brasília, autoridades comentaram a importância do diálogo e as parcerias de sucesso que unem os dois países, realizadas ao longo dos anos.
Até esta quinta-feira (30/6), representantes dos dois países estarão reunidos para um intercâmbio de experiências e iniciativas na promoção da água, ambiente, saúde e desenvolvimento.
O embaixador da França, Yves Saint-Geours, cumprimentou o Brasil pelo comprometimento com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que entre outros pontos prevê a redução à metade da população que não tem acesso à água potável nem tampouco aos serviços de saneamento básico até 2015.
?Brasil e França podem fazer políticas conjuntas e propor soluções conjuntas. Questões globais precisam de políticas globais também?, destacou o embaixador. Geours comentou ainda sobre a finalidade do encontro.
?Este é o momento para compartilhar experiências e provocar reflexões em relação à água, saúde humana e desenvolvimento, no contexto dos Objetivos do Milênio, do Fórum Mundial da Água e da Rio +20. Podemos avançar e realizar propostas para questões da água e saneamento?, acrescentou.
A vice-diretora da Fiocruz Brasília, Iramaya Caldas, destacou as parcerias técnico-científicas entre os dois países e a relação da instituição com a França. ?Os institutos franceses são referência desde Oswaldo Cruz, que foi estudante do Pasteur?. E acrescentou. ?A Fiocruz está de portas abertas para estas iniciativas. E que esta seja apenas a primeira de muitas?.
?O seminário propõe um diálogo interessante entre nossas iniciativas e da França e inaugura pelo menos da nossa parte um esforço nas atividades e contribuições para a Rio+20?, destacou o diretor de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde, Guilherme Neto. A secretária nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Maya Takagi, falou sobre os avanços do país e das iniciativas do Ministério.
?O Brasil tem avançado nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Dois deles estão fortemente relacionados à questão da água, como erradicar a fome e a miséria. O MDS tem experiências de sucesso, que promovem o acesso à água por meio do aproveitamento da água da chuva. Esta é uma economia verde e ao mesmo tempo uma política social?, disse.
O secretário-adjunto da Secretaria-Geral da Presidência da República, Geraldo Magela, comentou sobre a participação social em busca de bons resultados para o país. ?Nossa instituição tem mobilizado a sociedade em prol dos ODM?.
O secretário nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, Leodegar Tiscoski, comentou sobre o primeiro Plano Nacional de Saneamento do Brasil. ?O plano fala da estruturação do saneamento no Brasil e busca a universalização do serviço de saneamento par que todos os brasileiros tenham acesso à água?.
Segundo o secretário nacional de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Eduardo Assad, estudos da Agência Nacional de Águas (ANA) indicam que a falta de políticas públicas podem resultar em desabastecimento de águas no Brasil. ?Cinquenta por cento das nossas cidades poderão sofrer desabastecimento de água até 2015?.
O seminário é promovido pela Embaixada da França e Fiocruz, em parceria com os Ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Saúde, do Meio Ambiente, Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/OMS), Unesco e Unicef.
O evento reúne nomes como o professor francês e pesquisador em direito público Bernard Drobenko, autor do livro Direito à água: uma questão humanitária, além de pesquisadores da Fiocruz, Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ANA, entre outros.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta