Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Belém terá Centro de Alta Complexidade em Oncologia

Publicidade

O Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde do Pará assinam hoje (15/10), às 11h, em Belém, um protocolo de mútua cooperação para a implantação do Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) do Hospital Universitário João de Barros Barreto. Para equipar o novo centro, o Ministério da Saúde investirá R$ 3 milhões em equipamentos de radioterapia. Os recursos vêm do Projeto de Expansão da Assistência Oncológica (Expande), coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), responsável pela assessoria técnica e treinamento profissional. Também assinam o protocolo o Hospital João de Barros Barreto, a Universidade do Pará e a Secretaria Municipal de Saúde de Belém.
Com a inauguração do novo serviço, em março de 2006, 33% da população paraense ? 2,16 milhões de pessoas ? terá acesso a um atendimento oncológico integral, com cirurgia, radioterapia e quimioterapia em um só local. Atualmente, o estado possui um único Cacon cadastrado no Sistema Único de Saúde (SUS), que tem capacidade para assistir cerca de 1,64 milhão de pessoas, ou seja, 25% dos habitantes do estado.A região metropolitana onde fica Belém foi escolhida por concentrar 42% da população de todo o estado.
O Hospital João de Barros Barreto é um hospital geral com 284 leitos. Por ser universitário, é estratégico para a formação de recursos humanos na área do câncer, o que beneficia toda a Região Norte. Com a implantação do Cacon, o hospital oferecerá serviços de diagnóstico, reabilitação, cuidados paliativos, hemoterapia, radioterapia, oncologia clínica e cirúrgica, além de suporte psicológico, nutrição, farmácia e serviço social para os pacientes.
Na ocasião, será assinado um protocolo de intenções para a inclusão da região de Tucuruí na agenda de expansão da assistência oncológica do Ministério da Saúde. O protocolo prevê, por parte do estado do Pará, a adequação tecnológica e a incorporação de recursos humanos no Hospital Geral de Tucuruí. A região de Carajás-Marabá também será atendida, totalizando cerca de 1 milhão de habitantes beneficiados. Com os Cacons de Belém e de Tucuruí em funcionamento, 42% da população do Pará vai contar com uma assistência integral no tratamento do câncer.
De acordo com o Projeto de Expansão da Assistência Oncológica no Brasil (Expande), o Ministério da Saúde investirá um total de R$ 44 milhões para a criação de 20 Centros de Alta Complexidade em Oncologia.
Cerca de 11 milhões de brasileiros serão beneficiados com a ampliação da assistência oncológica. Do total de recursos previstos para o projeto, o Ministério da Saúde já repassou R$ 13,7 milhões.
Os Cacons são instalados em hospitais gerais públicos ou filantrópicos credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS). Os procedimentos médico-hospitalares vão do diagnóstico inicial ao tratamento dos tumores malignos mais freqüentes no país: pele, mama, colo uterino, pulmão, estômago, intestino, próstata, além de outros próprios da infância e da juventude.
Com a ampliação do acesso à assistência oncológica integrada, inúmeros resultados são alcançados, entre eles, o aumento da sobrevida e melhoria da qualidade de vida dos doentes, além da estruturação da área de diagnóstico do SUS.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta