Semana da Saúde 2017 Semana da Saúde: discuta os principais assuntos de Tecnologia da Informação em 10 Webinars. Reserve seu lugar! Clique aqui

Banco de sêmen representa esperança ao paciente oncológico

Publicidade

Estudo realizado por 12 anos avalia pacientes com câncer e conclui que a fertilidade pode ser preservada através do banco de sêmen

Um trabalho científico realizado pelo Fertility – Centro de Fertilização Assistida, sobre um programa de criopreservação de espermatozoides destinado a pacientes oncológicos, avaliou a qualidade dos gametas masculinos pós-descongelamento, além da importância social do banco de sêmen para os homens acometidos pela doença.

Realizado nos últimos 12 anos, o estudo foi publicado no Internacional Brazil J Urol no ano passado. Participaram do programa, 98 pacientes, entre 16 e 69 anos, sendo que 56% tinham câncer testicular. As amostras com espermatozoides móveis foram criopreservadas, independente do volume de concentração, num período médio de 4,5 meses após o diagnóstico da doença, antes de qualquer terapia.

Cada amostra teve uma alíquota extraída para uma avaliação, sendo que a concentração média espermática foi de 45,4 milhões por mL, a motilidade total de 57%, com uma taxa de recuperação da motilidade de 38%, pós-descongelamento. Para o coordenador do estudo, o especialista em reprodução humana assistida Edson Borges, os resultados demonstram que é possível preservar adequadamente a fertilidade do paciente oncológico.

No grupo, 79% apresentaram preocupação com a fertilidade, sendo que cerca de 90% relataram sentir mais segurança com a possibilidade de congelar seus gametas. Ao ingressar no programa, 80% deles não tinham filho. Atualmente, 80 pacientes mantêm suas amostras criopreservadas; sete foram a óbito, três realizaram a fertilização in vitro, com duas gestações, e oito tiveram o sêmen descartado.

“O banco de sêmen garante um potencial reprodutivo o que pode ajudar no tratamento do câncer. No entanto, é necessário que os oncologistas informem a seus pacientes sobre esta possibilidade, ainda são poucos homens que procuram os serviços de reprodução assistida”, ressalta Borges. Entre 1996 e 1999 foram inseridos apenas 14 pacientes no programa e, atualmente, o Fertility recebe 10 casos por ano.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta