Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Bahia exige notificação de casos de infecção

Publicidade

A partir de agora, hospitais, clínicas e serviços de saúde públicos e privados da Bahia serão obrigados a notificar casos de infecção por micro-organismos resistentes, inclusive os da superbactéria Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC). A Secretaria de Saúde do estado baixou portaria tornando obrigatório o registro.
 
De acordo com a secretaria, deverão ser notificados os casos suspeitos e confirmados, enviados ao Núcleo Estadual de Controle de Infecção Hospitalar, na Diretoria de Vigilância Sanitária e Ambiental. O órgão destaca que cabe às comissões de controle de infecção dos hospitais implantar medidas para reduzir a disseminação dos micro-organismos resistentes aos antibióticos.
Para conter os casos de KPC no país, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tornou obrigatório o uso de álcool (líquido ou gel) para a assepsia dos profissionais de saúde, visitantes e pacientes nos hospitais públicos e privados. Outra resolução da agência determinou que, a partir de 28 de novembro, as farmácias e drogarias terão de reter uma das vias da receita médica para a venda de antibiótico. A ideia é evitar o uso indiscriminado dos remédios – apontado como uma das causas para o aparecimento de micro-organismos resistentes.
A carbapenemase (o C da KPC) é uma enzima que dá a alguns tipos de bactéria resistência a antibióticos de uso habitual. Os casos, até agora, estão restritos a pessoas hospitalizadas com baixa imunidade, como pacientes de unidades de terapia intensiva (UTIs). A superbactéria pode ser transmitida por contato direto ou pelo uso de objetos em comum. Especialistas apontam que lavar as mãos com água e sabão é a medida mais eficaz para evitar a disseminação da KPC e dos micro-organismos resistentes no ambiente hospitalar.
Há registros de casos de contaminação pela bactéria nos seguintes estados: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Goiás, Santa Catarina, Paraná, Paraíba e Pernambuco. O Distrito Federal registrou o maior número de ocorrências – mais de 180 casos e 18 mortes.

Você tem Twitter? Então, siga  http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta