Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Atlas traça o perfil da Saúde no Município de São Paulo

Publicidade

O mapeamento das principais doenças e suas áreas de concentração foi o primeiro resultado do estudo que resultou na criação do Atlas da Saúde do Município de São Paulo. Com este diagnóstico em mãos, a Secretaria da Saúde pretende gerar recursos para a saúde e criar programas focados para cada região. O estudo foi idealizado pelo Hospital Israelita Albert Einstein e pela Secretaria da Saúde do município, com patrocínio do instituto de responsabilidade social do hospital. A primeira fase do mapeamento já traçou a concentração das redes de serviços de saúde no município, as taxas de mortalidade e as doenças crônicas de maior incidência. A próxima etapa do projeto que deve ser finalizada em três meses identificará geograficamente a incidência de câncer, insuficiência renal crônica, demanda de pacientes e alto custo.
Causas de morte x hospitais e recursos disponíveis
Representando a primeira causa mais importante de mortalidade, o estudo constatou que 30,5% das mortes no município é causada por doenças do aparelho circulatório, como AVC e infarto, estando distribuída homogeneamente por toda a São Paulo, independente do nível sócio-econômico-cultural da região.
?Quando se olha para a periferia constata-se que existe uma menor expectativa de vida. Nota-se entre a faixa etária de 44 a 59 anos uma maior incidência de mortes por AVC. Na população jovem entre 15 e 24 anos, as taxas de obesidade também foram maiores na periferia do que na região central. Isto acaba também aumentando conseqüentemente as incidências de doenças cardíacas?, explica dr. Miguel Cendoroglo, coordenador do estudo.
A segunda causa de morte são os casos de câncer, a terceira algumas doenças infecciosas e a quarto, causas externas (acidentes e assassinatos). Em relação aos hospitais, o Atlas mostra que existe uma concentração de hospitais na região central, que equivale à região de melhor nível sócio-econômico. Já as Unidades Básicas de Saúde têm uma distribuição mais homogênea nas diversas regiões.
Os recursos de tomografia, essenciais para o diagnóstico do AVC também estão concentrados na região central. Os recursos de hemodinâmica, para diagnóstico e tratamento da Doença Isquêmica Cardíaca se concentram no centro. O Serviço de atendimento móvel do Município (SAMU) apresenta uma distribuição adequada nas diversas regiões.
Próximos passos
Segundo o Secretário de Saúde, Cláudio Luiz Lottenberg, o compromisso da secretaria é transformar a pesquisa num instrumento útil para a população. ?O que concluímos é que São Paulo é um município que apresenta subpopulações com perfis totalmente distintos. De posse desses indicadores, vamos criar programas de prevenção e qualidade de vida focados para cada região, contando sempre com parcerias de instituições privadas, para que juntos possamos reconstruir o nosso sistema de saúde pública. Além de investimentos financeiros, vamos buscar competências humanas visando unicamente a saúde da população?, enfatiza Lottenberg.
A Secretaria pretende equilibrar a demanda e oferta não só de infra-estrutura e recursos humanos, mas de outros fatores sociais que determinam a qualidade da saúde na capital. A idéia é apresentar um modelo que pode ser adaptado a muitas outras regiões do país.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta