HIS17 Já emitiu sua credencial gratuita para o HIS '17? Já são +1.800 profissionais! Clique aqui

Como transformar sua clínica ou consultório em um negócio

Publicidade

Todo consultório é uma empresa: gera lucros, tem contas a pagar, a receber e um fluxo de caixa. No entanto, os médicos não se enxergam como empreendedores e pouco se dedicam a assuntos relacionados à gestão financeira e administrativa.

Um erro comum na gestão de um consultório médico é deixar de projetar o futuro financeiro do negócio, baseando-se sempre em resultados a curto prazo. Manter um fluxo de caixa eficiente é substancial para controlar os faturamentos e planejar receita suficiente para cobrir gastos que chegarão ao longo do tempo.

Contudo, o fluxo financeiro nem sempre é bem executado por quem não tem uma formação ou base econômica. Mas existem sistemas facilitadores que oferecem uma boa gestão, organização e rentabilidade, ajudando médicos a pensarem de forma estratégica e criarem a consciência de que ter um consultório é também ter um negócio.

A solução pode estar na implantação de um software de gestão na nuvem para clínicas ou consultórios médicos que gera uma série de facilidades, afinal softwares do gênero contam com funcionalidades, capazes de otimizar a administração do negócio, desde o atendimento, passando pelo administrativo, até o financeiro.

Exemplos disso, estão na agilidade do atendimento ao paciente, redução de ausência nas consultas agendadas previamente, lembretes de agendamento e confirmação de consulta via SMS, redução no número de glosas, emissão de relatórios e visão geral de todo o negócio. Assim, fica simples os médicos e profissionais de saúde focar no core: cuidar da saúde e qualidade de vida dos pacientes.

“Optar por um software de gestão na nuvem para clínicas e consultórios médicos robusto garante ao médico seguridade nas informações relevantes para a administração do negócio. O objetivo de uma ferramenta de gestão é garantir a otimização do business para que o médico dedique seu tempo para atender melhor os seus pacientes”, diz João Gabriel Alkmim, COO da Vitta.

       
Publicidade

Deixe uma resposta