Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Anvisa publica novas regras para hemoterapia

Publicidade

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, na sexta-feira (17/10), as RDC n° 56 e 57, que resultam da revisão da RDC 153, de 2004, e estabelecem novas normas para o funcionamento de serviços de hemoterapia e de laboratórios de processamento de células progenitoras hematopoéticas.
Os principais aspectos abordados pelas resoluções são: definição de competências dos serviços, instalações físicas e os recursos humanos mínimos para funcionamento, além da operacionalização de processos e a implementação de sistemas de garantia da qualidade. De acordo com comunicado da Anvisa, os estabelecimentos têm 180 dias para se adequar às resoluções.
Dispositivos
A RDC n° 56 dispõe sobre os requisitos mínimos para o funcionamento dos laboratórios de processamento de células progenitoras hematopoéticas (CPH), provenientes de medula óssea, sangue periférico e sangue de cordão umbilical e placentário.
O regulamento é válido para os estabelecimentos públicos e privados que realizem atividades de coleta, processamento, testagem laboratorial, armazenamento, controle de qualidade e transporte dessas células com a finalidade de transplante convencional de medula óssea.
Já a RDC n° 57 estabelece o novo regulamento sanitário para serviços de saúde que desenvolvem atividades relacionadas ao ciclo produtivo do sangue humano e aos componentes e procedimentos transfusionais.
A norma foi feita em parceria com a Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados (CGSH) do Ministério da Saúde, que deverá publicar, em breve, uma portaria para regulamentar os procedimentos hemoterápicos, com base nos critérios definidos pela Anvisa.
O roteiro mínimo que deverá ser usado pelas vigilâncias sanitárias durante as inspeções desses serviços também passou por mudanças. “Os módulos foram organizados em itens de controle baseados no risco potencial inerente a cada um em relação aos padrões técnicos e de qualidade definidos, categorizando-os por níveis de criticidade”, explicou a Agência em comunicado.
 Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/#!/sb_web e fique por dentro das principais notícias de Saúde.
 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta