Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Alunos da Unicamp desenvolvem mouse para deficientes

Publicidade

o protótipo de um mouse destinado a pessoas que apresentam problemas motores, que além de oferecer várias funcionalidades, tem o diferencial de ser mais fácil de operar do que os modelos disponíveis no mercado, foi apresentado pelos alunos Marcio Rogério Juliato e Daniel Ferber, do Instituto de Computação da Unicamp, em São Paulo. O equipamento, que levou três meses pra ser construído, foi concebido em duas versões. A mais simples é composta por um painel com seis botões. Acionados pela pressão da mão, quatro deles fazem com que o cursor se movimente para cima, para baixo, para a esquerda e para a direita. Os outros dois botões têm a função de ?agarrar? e ?soltar?, o que permite que o usuário arraste objetos (um ícone, por exemplo) de um ponto para o outro da tela. O modelo é indicado para pessoas com maior comprometimento motor ou para crianças nos estágios iniciais de aprendizagem.
A outra versão, mais completa, é composta por 12 botões. Além de ter as mesmas funções da anterior, ela também permite que o usuário movimente o cursor nas diagonais, tanto para cima quanto para baixo. Dispõe, ainda, de dois comandos que reproduzem a função dos botões direito e esquerdo do mouse convencional. Segundo os inventores, o equipamento apresenta uma série de vantagens em comparação com os modelos comerciais. Primeiro, ele é robusto, suportando um nível razoável de impacto, além de apresentar uma boa proteção contra umidade. Outra característica é que o mouse especial pode ser conectado a qualquer computador, sem a necessidade de um software específico, ao contrário do que ocorre com os presentes no mercado. Ou seja, funciona com qualquer programa e com todos os sistemas operacionais.
Mas o principal diferencial da nova tecnologia estará no custo final ao consumidor. Ele estima que, assim que começar a ser produzido em escala – já há entendimentos nesse sentido -, o equipamento completo poderá sair em torno de R$ 400, enquanto o mais simples, a R$ 300. Atualmente, os modelos comerciais estão custando entre R$ 700 e R$ 1,2 mil.O estudante da Unicamp destaca ainda que um mouse convencional pode ser acoplado ao mouse especial, de modo que duas pessoas (aluno e professor, por exemplo), possam assumir o controle da operação, mas não ao mesmo tempo.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta