Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

A Neuropatia Diabética, uma complicação devastadora do diabetes, pode ser evitada

Publicidade

Neuropatia Diabética, uma complicação devastadora

do diabetes, pode ser evitada

Um pé é amputado a cada 30 segundos no mundo por causa do Diabetes. É essa a alarmante estimativa da OMS (Organização Mundial de Saúde) para as conseqüências da Neuropatia Diabética, uma das principais complicações do Diabetes, e decorrente dos níveis persistentemente elevados de glicemia encontrados, principalmente, em pacientes com um controle glicêmico insatisfatório.

Segundo Dr. Rodrigo Moreira, médico endocrinologista, mesmo sendo considerado um problema grave, a Neuropatia Diabética pode ser evitada.

“A medida mais efetiva para evitar essa complicação é um controle glicêmico vigoroso, de forma a manter os níveis de glicemia dentro dos recomendados”, alerta o médico.

Além disso, sabe-se hoje que a manutenção dos níveis de glicose dentro dos limites desejados impede que a doença progrida naqueles pacientes que já apresentam sintomas. Outro aspecto importante envolve a prevenção da principal complicação da neuropatia: a amputação dos pés.

A Neuropatia Diabética é uma doença que afeta os nervos periféricos e outros importantes órgãos, como o trato gastrointestinal, levando a diarréia ou constipação intestinal; trato urogenital, sendo uma das causas da disfunção eréctil (impotência) e aparelho cardiovascular, levando a um aumento no risco de infarto, incluindo do chamado “Infarto Silencioso”.

Outras complicações relacionadas aos sintomas da neuropatia diabética incluem diversas doenças psiquiátricas, quadros depressivos e ansiosos.

Sintomas

A Neuropatia Diabética pode se apresentar de diversas formas. Uma das apresentações mais comuns é a Polineuropatia Simétrica, que consiste na existência de uma lesão dos nervos, principalmente nos mais longos, afetando, desta forma, predominantemente, os membros inferiores. Os pacientes inicialmente apresentam os sintomas nos dedos dos pés e, com o tempo e o descontrole do Diabetes, estes sintomas vão progredindo em sentido ascendente.

Dr. Rodrigo Moreira informa que os sintomas mais comuns são a parestesia (termo médico utilizado para dormência ou formigamento) e a hipoestesia (termo técnico utilizado para perda de sensibilidade). Neste caso específico, o paciente começa a apresentar uma alteração dos diferentes tipos de sensibilidade, como a sensibilidade dolorosa (não sente dor), térmica (não sente temperatura e não consegue discriminar entre quente e frio) e táctil (não consegue sentir o contato de objetos com sua pele). Com o tempo, evolui com anestesia (perda completa de sensibilidade nos membros inferiores). Além disso, estes pacientes podem também apresentar um outro sintoma devastador: a chamada dor neuropática.

“A dor neuropática é considerada um dos piores sintomas da Neuropatia Diabética. O paciente se queixa de dor, normalmente de forte intensidade, localizada principalmente nos pés, que piora a noite. Essa dor pode se apresentar de diversas formas: queimação (“pé pegando fogo”), congelando (“parece que o pé está congelando”), “tomando choques” ou “tomando facadas”. A dor normalmente é tão forte que compromete o sono do paciente e leva a uma piora significativa da qualidade de vida”, explica ele.

O pé diabético

“O paciente com diabetes, principalmente aquele com neuropatia, deve cuidar de seus pés da mesma maneira que cuida do seu rosto. O exame cuidadoso dos pés, tanto pelo paciente como pelo seu médico, é uma das maneiras mais

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta