Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Hoje recebi um artigo do Tom Coelho*

Publicidade

Tom Coelho é um é educador, conferencista e escritor com artigos publicados em 17 países, a quem tive o prazer de conhecer quando fui proferir uma palestra na FIESP para o grupo de Jovens Empreendedores. Hoje, recebi dele o texto ?Exemplos e Opiniões?, no qual ele relata não ser exatamente aquilo que escreve, mas que projeta nos artigos,
 uma versão melhorada de si mesmo, daquilo que almeja ser e se compromete com isso.

Bem, isso me inspirou a escrever este curto texto do blog da semana, para que eu também compartilhe com os leitores que aquilo que escrevo sobre a Área Regulatória é o que eu gostaria que fosse para o Brasil, para todos. Já ouvi muitas vezes que sou ácido nas minhas críticas, mas como não sê-lo quando a teoria está tão distante da prática e nesse deserto que se forma entre uma e outra padecem os pacientes, as empresas e as pessoas…?

Sou formado na área da Saúde e conheço muito de perto a realidade do dia a dia dos hospitais e dos pacientes que sofrem com a falta de recursos, os mais básicos possíveis. O Brasil não é os grandes centros, costumo dizer. O padrão que muitas vezes se contra nos grandes centros, não se replica em cidades menores. De que adianta marcos regulatórios suíços numa realidade haitiana?

Vejamos um caso prático, o da prescrição dos antibióticos: no Brasil não há sequer farmácias suficientes para atender toda a população, quanto mais Médicos e ainda pior, Médicos que atendam em número suficiente nos postos e hospitais públicos. Será que quem escreveu a Resolução que trata do tema conhece a realidade da população ribeirinha do Amazonas ou daqueles que vivem no árido nordestino e que têm que se deslocar por horas antes de chegar num Médico ou no balcão de uma farmácia? E o que dizer dos prazos para aprovação dos produtos, incluídas aí as certificações necessárias: um desserviço para o país, eivado de vícios e desculpas, sempre eternas e imutáveis.

Portanto, finalizo dizendo que aquilo que escrevo é a projeção de um Brasil melhor, com os pés na realidade e no momento que vivemos. Com o que temos, poderíamos gozar de uma situação muito melhor ao invés de ficarmos nos engalfinhando em leis, decretos, resoluções e portarias que só nos tomam o tempo, os recursos financeiros e que nada de bom trazem para o Brasil, a não ser mais arrecadação para o governo federal, sem o devido retorno para a população.

* Tom Coelho é educador, conferencista e escritor com
artigos publicados em 17 países. É autor de ?Somos Maus Amantes ? Reflexões
sobre carreira, liderança e comportamento? (Flor de Liz, 2011), ?Sete Vidas ?
Lições para construir seu equilíbrio pessoal e profissional? (Saraiva, 2008) e
coautor de outras cinco obras. Contatos através do e-mail tomcoelho@tomcoelho.com.br.
Visite: www.tomcoelho.com.br
e www.setevidas.com.br.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta