Archives of #segurança do paciente

Parcerias Público-Privadas são modelos que aliviam o setor público na Saúde

 

O tema das PPPs foi debatido no Congresso “Saúde Business Conference”,  durante o primeiro dia do Healthcare Innovation Show (HIS), no São Paulo Expo

O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco Figueiredo, abriu o painel “Saúde Business Conference”, que teve como moderador, Rogério Caiuby, diretor de estratégia do Hospital Sírio-Libanês. Segundo Figueiredo, para que o modelo de PPPs dê certo no país o hospital, por exemplo, não pode ser 100% mantido pelo SUS (Sistema Único de Saúde), pois, se for, é melhor que seu financiamento continue sendo totalmente público. Para ele, é essencial que se saiba quem se deve ou não contratar no setor de saúde. “No Brasil, temos o modelo das Organizações Sociais (OS). Quem erra muito é o ente público que não acompanha esse contrato, que contrata errado.” O secretário ainda lembrou que hoje no Brasil os gastos com saúde são diferentes do de 15 anos atrás, e que o tratamento de vítimas da violência urbana e de acidentes de trânsito, principalmente de motos, tem pesado nas contas dos municípios.

Já Joel Formiga, coordenador do programa Corujão da Saúde, da Prefeitura de São Paulo, afirmou que a capital paulista está investindo em inovação. “Nós estamos com uma mentalidade de transformar, mudar. O que se ganha em qualidade e agilidade com tecnologia não tem preço”, afirmou. Segundo ele, as chances de um cidadão ser atendido em um esquema público-privado na cidade é grande: “Quando nós olhamos para o orçamento da prefeitura, dos R$ 50 bilhões para Saúde, R$ 10 bilhões são gastos com OSs. Das quase mil unidades de saúde de São Paulo, dois terços são operadas por OSs. Hoje, não seria viável abrir um hospital sem essas organizações”, afirmou.

Felipe Rizzo, executivo do setor, com ampla experiência internacional, ressaltou que as PPPs foram muito testadas na Europa antes de chegar à América Latina. “Esse modelo tem muito a ver ao iniciar um projeto de grande escala, que gera uma alta complexidade e exige uma modelagem diferenciada, e criar um prazo longo para ceder espaço a quem tem mais competência para colocá-lo em prática”. Segundo ele, essas parcerias podem contribuir com projetos mais complexos que podem ser compartilhados com o setor privado”, afirmou.

 Discussão sobre jornada do paciente tem tecnologia como pano de fundo

O painel “Experiência: Jornada do Paciente em Contexto Ambulatorial e Hospitalar”, apresentado no 2º Simpósio de Liderança Clínica do HIS, tratou da experiência do paciente dentro do processo hospitalar e sobre como a tecnologia pode melhorá-la.

O moderador, Fábio Mattoso, executive leader Watson Health da IBM, ressaltou que “nenhuma tecnologia vai substituir o médico. Embora hoje tenhamos dispositivos que monitoram o paciente o dia todo, como os que medem a glicemia dos diabéticos, e que auxiliam muito os profissionais da saúde.” Luiz de Luca, CEO da Américas Serviços Médicos, lembrou que hoje temos, inclusive, “aplicativos que dão acesso a resultados de exames”.

O presidente do Hospital Israelita Albert Einstein, Sidney Klajner, afirmou que o uso de tecnologias pode ajudar no tratamento de doenças, como o diabetes. “Temos no hospital um aplicativo que informa o paciente sobre a dose de insulina a ser tomada, por exemplo”, afirmou. Por outro lado, continua Klajner, “hoje, a quantidade de informações que nós temos e recebemos é muito fragmentada, temos muito a evoluir com relação à inserção de dados para que haja um prontuário único, de forma que o paciente e médico se beneficiem”.

Ao ser questionado sobre o acesso das populações mais pobres à saúde e tecnologia, Reynaldo Neiva, diretor administrativo corporativo do Hospital Leforte, afirmou que há um “atraso enorme no entendimento do que é o futuro”. “Vejo também uma grande ruptura, acho que outros sistemas vão servir às nossas necessidades, em outros canais de comunicação, por exemplo. A gente subestima as pessoas mais pobres, mas elas já estão muito conectadas e, com isso, têm acesso a tudo. Por incrível que pareça, tem muita gente no país que nunca passou por uma consulta médica. Eu acredito que a tecnologia por revolucionar a vida dessas pessoas”.

Gustavo Gusso, diretor médico da Amil, disse que há outras formas de mudar a cultura da medicina, ainda apegada a modelos pouco eficientes. Uma dessas formas, segundo ele, é estimular a interação entre profissionais envolvidos no tratamento do paciente. “Os médicos não conversam entre eles, isso é cultural. E estamos tentando resolver isso marcando, por exemplo, consultas entre eles”, contou.

 Prevenção e planejamento são fundamentais para o atendimento ao idoso

Para aprimorar o atendimento de saúde à população idosa no Brasil é preciso em primeiro lugar cuidar da prevenção às doenças, mas antes disso as redes e os diversos elos desse processo, público e privado, têm de encontrar conjuntamente soluções para problemas que são direta ou indiretamente comuns. Esses foram os maiores desafios levantados no painel “Inovação com foco em envelhecimento populacional e gerenciamento crônicos”, apresentados no “Saúde Business Conference”, no HIS 2017.

Para uma população que envelhece de forma acelerada, como a brasileira, o sistema de saúde deve aumentar o atendimento em atenção primária, que segundo especialistas podem resolver até 80% dos casos dos pacientes com algum tipo de doença. “Mas para isso é preciso haver planejamento e integração dos diversos segmentos envolvidos no processo e não vejo ninguém no Brasil pensando nisso”, afirmou Mohamed Parrino, CEO do Hospital Moinhos de Vento.

Ricardo Soares, CEO do Brasil Senior Living, recomendou, por exemplo, o treinamento dos profissionais envolvidos com base em um plano terapêutico desenhado especialmente para os pacientes idosos, que possuem particularidades especiais nos tratamentos a que são submetidos. Uma das possibilidades de melhorar a prevenção para esses pacientes, destacou Miguel Velandia, presidente da Medtronic, é a utilização de produtos e equipamentos tecnológicos que tratam com mais eficiência ou minimizam os efeitos causados pelas doenças, como marca-passos mais modernos, o desenvolvimento de pâncreas artificial para diabéticos e outros itens que vem sendo criados.

A diretora executiva do ICESP (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo), Joyce Chacon, lembrou que algumas campanhas de prevenção feitas no Brasil foram bem sucedidas diminuindo muito a incidência de doenças, como as originadas do tabagismo, por exemplo. Segundo ela, trata-se de uma maneira bastante eficiente de  lidar com muitos problemas de saúde, contudo, as iniciativas ainda são poucas, sendo necessário maior envolvimento do setor público com o apoio das empresas privadas.

 Inovações que contribuem na área de saúde são discutidas no HIS

A moderadora Marisa Madi, diretora-executiva do Inrad – HCFMUSP, apresentou a mesa “De Obstáculo a Oportunidade: Trazendo Inovação para a Mudança do Setor”,durante o Saúde Business Conference. Ela  afirmou que a discussão se daria no âmbito “de que forma a inovação pode contribuir com o setor de saúde, que é tão tradicional e regulado”.

Denise Santos, CEO da BP – Beneficência Portuguesa de São Paulo, relatou que é difícil inovar, principalmente por conta do investimento financeiro, que nem sempre gera um retorno  – a executiva lembrou ainda que o tradicional hospital comandado por ela passou por uma repaginação total muito recentemente, o que não passou sem gerar alguma controvérsia. “Na minha concepção de engenheira, inovação é toda pequena, média ou grande revolução”, disse.

Para Gabriel Palne, CEO do Grupo Geriatrics, a inovação é dividida em essencialmente “três partes: de modelo, na descoberta da fórmula de criar um novo resultado, por exemplo, tecnológica, onde se imagina que toda inovação se encaixa ali, e de processo, que envolve o processo não só dentro da unidade, mas de todo o sistema, para torná-lo mais eficiente”.

Rodrigo Baer, da Redpoint eVentures Brazil, afirmou que o setor tem que mudar os incentivos para inovar e crescer. “É difícil fazer isso numa carreira profissional que nunca foi remunerada por performance, como é o caso dos médicos, que, invariavelmente, só recebem reconhecimento com a publicação de papers”.

Live Healthcare entrega prêmio Great Place to Work para 76 empresas

Para prestigiar as empresas e entidades ligadas ao setor de saúde que mais investem nos funcionários e no ambiente de trabalho, a Live Healthcare, organizadora do HIS 2017, em solenidade no final da tarde de ontem (25/10), entregou  o prêmio “Great Place to Work”, na sua 4ª edição, a 76 contempladas.  Divididas nas categorias “Farmácias e Distribuidores”, “Planos de Saúde”, “Farmacêuticas”, “Clínicas”, “Medicina Diagnóstica”, “Hospitais” e “Indústria e Serviços”, os representantes das instituições premiadas de todo o Brasil subiram ao palco principal do evento para receber os troféus que representam os melhores locais para se trabalhar.

A escolha das instituições de saúde obedeceu a alguns critérios a partir de pesquisa realizada com os funcionários e de uma avaliação das práticas das políticas de trabalho adotadas. A pesquisa mediu o respeito à diversidade, hospitalidade, orgulho pelo trabalho e ajuda à comunidade, com peso equivalente a 67% dos votos. No caso da avaliação, com peso de 33% na nota final, os critérios foram qualidade de vida, benefícios, equilíbrio entre vida pessoal e profissional, entre outros.

Agenda: Ministro da Saúde, Ricardo Barros, participa do coquetel de encerramento do HIS, nesta quinta-feira (26), às 18h, no São Paulo Expo.

 

 

Serviço  

HIS – Healthcare Innovation Show 2017

Data: 25 e 26 de outubro de 2017

Horário: das 8h30 às 19h00

Local: São Paulo Expo

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo

http://saudebusiness.com/his/

Credenciamento Imprensa – o credenciamento poderá ser feito diretamente pelo link: goo.gl/vXRoLr


Contato para imprensa (HIS 2017):

2PRÓ Comunicação 

e-mail equipe: his17@2pro.com.br

Teresa Silva – (11) 3030-9463

Luciano Somenzari (11) 3030-9435

Myrian Vallone – (11) 3030-9404

Paula Giffoni – (11) 3030-9402

www.2pro.com.br


 

Cases de sucesso reúnem 41 instituições finalistas do Prêmio Referências da Saúde

Premiação reconhece as melhores experiências em gestão, qualidade assistencial, governança e segurança do paciente e será feita durante o HIS – Healthcare Innovation Show, que acontece nos dias 25 e 26 de outubro no São Paulo Expo

 No próximo dia 26 de outubro, 41 instituições de saúde que desenvolveram as melhores experiências sobre gestão, qualidade assistencial, governança e segurança do paciente serão homenageadas no palco principal do Healthcare Innovation Show (HIS). Ao todo foram cerca de 50 casos de sucesso escolhidos por uma comissão do prêmio Referências da Saúde, um estudo anual realizado pelo portal e revista Saúde Business em parceria com a consultoria PwC.

Das instituições finalistas, entre elas AACD, BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital São Rafael, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, São Francisco Saúde, Unimed, Pró-Saúde, Lifecenter e Hospital São Vicente de Paulo, 15 serão premiadas. Todos os cases serão apresentados em pôsteres científicos no evento, que acontece nos dias 25 e 26 de outubro no São Paulo Expo.

O prêmio Referências da Saúde tem como propósito retratar e destacar o grau de maturidade de gestão dos players do setor da saúde. O foco do estudo são hospitais, operadoras de planos de saúde (cooperativas, seguradoras, autogestões, medicina de grupo), centros de medicina diagnóstica e empresas de home care.

Os casos de sucessos que foram escolhidos estão alinhados a um dos cinco pilares do estudo que são “Gestão de Pessoas”, “Gestão Administrativo-financeira”, “Governança Corporativa”, “Gestão de Tecnologia da Informação” e “Qualidade Assistencial e Segurança do Paciente”. Cada empresa participante pode inscrever até três cases, sendo que os projetos devem estar em pilares diferentes.

O HIS 2017 está na sua 3ª edição e é um evento totalmente voltado ao mercado de saúde da América Latina. Terá quatro arenas simultâneas onde acontecerão mais de 10 congressos, com a participação de 150 palestrantes, além de reunir mais de 75 empresas expositoras. As apresentações de conteúdos com abordagens executivas e estratégicas serão feitas por nomes de referência do setor ligados às principais associações e institutos. A Live Healthcare, organizadora do evento, espera receber mais de 5 mil visitantes durante os dois dias.

Veja abaixo alguns depoimentos dos representantes das empresas que tiveram seus cases escolhidos:

“Para cumprir a nossa vocação de cuidar cada vez melhor dos nossos clientes, nos dedicamos continuamente ao aperfeiçoamento da nossa rede de serviços de saúde. Com um olhar à frente, investimos em eficiência e em programas de qualificação para oferecer uma assistência todo dia melhor. O Selo de Excelência Assistencial é uma iniciativa nessa linha e uma ação pioneira na saúde suplementar. Ele é um pilar da nossa mudança do modelo de remuneração e assistência, com o objetivo de gerar valor para o nosso cliente. O objetivo é avançar ainda mais na qualificação da rede hospitalar, valorizando os prestadores a partir da qualidade dos serviços, com foco nos resultados assistenciais. Para o cliente, o principal ganho é a transparência, na medida em que é possível aferir a qualidade dos hospitais, permitindo uma melhor escolha. O selo traz benefícios para todos e faz parte do nosso desejo de construção de um sistema de saúde sustentável e focado no cliente”.

José Augusto Ferreira, diretor Provimento de Saúde da Unimed-BH.

“A responsabilidade e satisfação de sermos escolhidos são enormes, uma vez que, fazemos do nosso dia a dia uma busca constante por excelência e melhoria contínua nos processos, resultados e satisfação dos nossos clientes. Nosso case ‘Dispensação por horários e administração em tempo real dos medicamentos’ foi criado a partir da identificação da necessidade de melhorar a eficiência operacional dos processos relacionados aos tempos e sequenciamentos da dispensação de medicamentos, que apresentavam inconsistências, especialmente de atraso da entrega nas unidades de cuidado, e grande reenvio por falha na separação feita na Farmácia Dispensação. Identificou-se ainda a necessidade de reduzir perdas e aumentar a segurança ao paciente na administração de medicamentos. O projeto permitiu maior controle na dispensação e na administração das medicações e materiais contidos nas prescrições médicas, gerando maior efetividade no controle do processo e proporcionou melhoria no gerenciamento nos tempos e movimentos da montagem de todos os lotes de medicamentos com seu status em tempo real, elevando o nível de segurança nos processos das áreas de Enfermagem e Farmácia”.

Ir. Marinete Tiberio, CEO – diretora executiva do Hospital São Vicente de Paulo (HVSP).

 “É com grande satisfação que a AACD apresenta este case de sucesso para o Prêmio Referências da Saúde, pois entende que é de grande valia para o setor de saúde compartilhar da sua experiência e poder inspirar instituições que ainda não tenham adotado o Gerenciamento de Riscos Corporativos a iniciarem este processo. O Prêmio é uma oportunidade ímpar de compartilhamento de iniciativas e projetos que possibilitam o crescimento do setor e fortalecem o sistema de saúde como um todo. O modelo de Governança Corporativa da AACD foi revisado em 2015 e vem se consolidando desde então com a adoção das melhores práticas reconhecidas no mercado, trazendo mais transparência, com vistas à perenidade e sustentabilidade da Instituição, para poder continuar cumprindo seu compromisso social. O projeto de gerenciamento de riscos e controles corporativos, integrado ao novo modelo de Governança, faz parte do contexto de boas práticas adotadas e contribuiu sensivelmente para a discussão e encaminhamento de riscos corporativos, já que os assistenciais já vêm sendo gerenciados, como monitoramento específico”.

Vivian Sueiro Magalhães, gerente de Auditoria Interna e Compliance da AACD.

“Receber esse prêmio é o significado de agregar valor à sociedade. Acreditamos que por meio de uma assistência com qualidade e segurança, possamos cada vez mais prestar um serviço de excelência. O controle de psicotrópicos em todas as instituições é uma necessidade real, e desenvolver uma estratégia que favoreça um melhor controle desses medicamentos no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo foi o propósito do projeto. Conseguimos eliminar o processo de prescrição manual e/ou formulário de consumo, garantindo a rastreabilidade dos psicotrópicos utilizados no ‘Kit Psicobox de Urgência’, bem como fazer com que esse kit fosse utilizado exclusivamente em situações de urgência e emergência”.

Lucas Lima – gerente de Enfermagem, CAIO / Oncocirúrgicas – DGA, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

“Temos muito orgulho de apresentar um case da BP no Referências da Saúde, uma das mais importantes premiações do setor. Ter um dos nossos projetos selecionados como exemplo de sucesso por uma instituição tão relevante para o mercado de saúde só reforça que estamos no caminho certo para contribuir com o desenvolvimento do nosso setor como um todo. Quanto ao nosso case escolhido ‘Tempo Médio de Permanência do Cliente’, após análise dos processos internos da BP, verificamos a necessidade de eliminar alguns gaps nos fluxos de internação, como a não identificação prévia de clientes com previsão de longa permanência e a revisão das regras para autorização e realização de procedimentos (cirurgias) não eletivos de clientes internados, fatores que impactam o tempo de permanência do cliente na instituição e a segurança assistencial. Por meio do trabalho conjunto foi possível melhorar processos existentes e criar novos, alinhados ao nosso propósito de valorizar a vida, que neste caso se traduz na redução do tempo de internação, segurança e satisfação do cliente internado. Para esse projeto, foram utilizados recursos já existentes na instituição. Ele possibilitou a revisão de alguns processos de internação, diminuindo o tempo e, consequentemente, o custo da internação para as fontes pagadoras. O tempo entre a solicitação de autorização e a realização dos procedimentos cirúrgicos para clientes internados caiu de 7 para 3 dias. Logo, conseguimos reduzir o tempo médio de permanência de 8,8 dias (maio/2016) para 7,8 dias (dezembro/2016), aumentando o giro de leitos e diminuindo a exposição a infecções”.

Luciane de Oliveira, coordenadora do Serviço de Apoio ao Médico (SAM) da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

“A importância do prêmio está relacionada ao reconhecimento da instituição diante nosso público e mercado de healthcare como um todo. Além da diferenciação do trabalho realizado pelo Hospital Lifecenter na área assistencial, apresentamos também uma evolução significativa na gestão administrativa e financeira. Nada melhor do que o reconhecimento de duas instituições mundialmente renomadas (Healthcare Media e PwC) para coroar o trabalho realizado com tanta dedicação por nossa equipe. Por se tratar de um evento nacional, a conquista tem um significado ainda maior, pois estamos nos destacando diante das maiores instituições de saúde no país, sempre colocando como prioridade o bem estar e a satisfação dos nossos pacientes”.

André Luiz Alvim, enfermeiro do Hospital Lifecenter.

“A Pró-Saúde dá um incentivo contínuo para pensarmos em projetos que humanizem o nosso atendimento. Sempre buscando alinhar inovação, tecnologia e segurança com o atendimento humanizado e focado no paciente. Este prêmio é o reconhecimento de que estamos no caminho certo: o de desenvolver projetos que façam a diferença no tratamento e na recuperação dos nossos pacientes. O projeto ‘Visita Virtual’ surge da constante busca de nossa instituição em oferecer um tratamento cada vez mais humanizado dentro do Hospital Público Estadual Galileu. O objetivo é auxiliar no processo de recuperação dos pacientes. Temos, na unidade, uma grande parcela de pacientes provenientes do interior do Estado do Pará. Eles ficam distantes dos seus familiares e amigos, e a ‘Visita Virtual” vem, justamente, ‘trazer para perto’ aquele familiar que está distante. Usamos a tecnologia em favor da aproximação das pessoas. Alguém que está satisfeito, que tem a participação da família em seu tratamento, pode se recuperar bem mais rápido do que aquele que está deprimido e não acredita no tratamento. O sentir-se bem influencia no engajamento em prol da recuperação.”

Vlamir Garcia, coordenador de Tecnologia da Informação da Pró-Saúde, no Hospital Público Estadual Galileu.

“A Unimed Vitória recebeu com muita alegria a confirmação de que está entre as escolhidas para o prêmio Referências da Saúde. Esse prêmio tem o reconhecimento do mercado ligado à saúde suplementar. Temos consciência de que esse resultado é alcançado com um sólido planejamento e respeito aos nossos quase 340 mil clientes, 2.500 cooperados, 2.500 colaboradores e aos parceiros. Em relação aos cases, a Unimed Vitória relacionou oito trabalhos, que vão desde o impacto da racionalização de Exames com o Modelo da Atenção Básica, até a implementação do Núcleo de Desospitalização (NUD), passando pelo Aplicativo Unimed Vitória – Mobile. O número e a qualidade dos cases são apenas uma amostra de que pensamos a saúde suplementar com seriedade. Mas do que isso, que a Unimed Vitória está sendo coerente com a sua missão de cuidar da saúde dos clientes com respeito e segurança”.

Tiarlen Natan Ferreira, analista de Gestão da Estratégia e Projetos da Unimed Vitória (ES).

Confira abaixo os premiados e seus cases:

AACD: Gerenciamento de riscos e controles corporativos, integrado ao Novo Modelo de Governança da AACD;

BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo: Redução do Tempo Médio de Permanência do Cliente e Turnaround BP;

Hospital Alemão Oswaldo Cruz: Implementação de estratégias para redução dos tempos de atendimento de pacientes com AVC agudo, assegurando uma assistência mais eficaz e Qualidade assistencial e eficiência operacional: desafios na gestão do serviço de urgência;

ICESP: Prescrição médica retrógrada de psicotrópicos;

São Francisco Saúde: Carefy – Gestão de Hospitalizados;

Unimed BH: Selo de excelência assistencial, novo modelo de remuneração de cooperados e sistema de integridade corporativa – Programa de Compliance Unimed Belo Horizonte;

Unimed Vitória: Fundo de investimento exclusivo Unimed Vitória e Aplicativo Unimed Vitória – Mobile Clientes;

Unimed Vitória – Diagnóstico: O impacto da racionalização de exames com o modelo de atenção primária e digital care;

Assistência Domiciliar Unimed Vitória: Gerenciamento de riscos em internação domiciliar e implementação do núcleo de desospitalização – NUD;

Hospital Unimed Vitória: Gestão de risco assistencial efetiva: a teoria aplicada na prática e sistema de controle e avaliação baseado em grupos relacionados ao diagnóstico;

Pró-Saúde: Projeto visita virtual: você próximo de quem ama;

Hospital Lifecenter: Impactos da implantação da estratégia multimodal para higienização das mãos e Construindo um hospital referência: projeto de reestruturação operacional e financeira;

Hospital São Vicente de Paulo: Dispensação de medicamentos por horários e administração em tempo real.

Sobre o HIS

O HIS – Healthcare Innovation Show é o primeiro trade show de tecnologia e inovação em um espaço de mais de 4.000 m² voltado ao mercado de saúde na América Latina. São 4 arenas simultâneas onde acontecem mais de 10 congressos, cada qual especialmente organizado para oferecer conteúdo de qualidade para os diferentes cargos e funções das organizações de saúde.

O evento deverá contar este ano com números que ultrapassam os 5.000 participantes, os 200 palestrantes e as 75 empresas expositoras, além de premiações de reconhecimento das experiências inovadoras do setor.

Além das discussões executivas e estratégicas, grandes empresas e startups apresentam o que há de mais inovador e tecnológico no mercado. Nomes de peso do setor lideram os conteúdos ao lado das principais associações e institutos.

O HIS 2017 é ainda constituído por quatro grandes eixos de atividades especiais: o Startup Lounge, com a exposição de serviços tecnológicos; o hackathon hack4health, maratona de desenvolvimento em busca de soluções para problemas da saúde e de gestão; e os prêmios Referência da Saúde/2017, Top Hospitalar/2017 e Great Place to Work.


Serviço  

HIS – Healthcare Innovation Show 2017

Data: 25 e 26 de outubro de 2017

Horário: das 8h30 às 19h00

Local: São Paulo Expo

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo

http://saudebusiness.com/his/

Credenciamento Imprensa – o credenciamento poderá ser feito diretamente pelo link: goo.gl/vXRoLr


Contato para imprensa (HIS 2017):

2PRÓ Comunicação 

e-mail equipe: his17@2pro.com.br

Teresa Silva – (11) 3030-9463

Luciano Somenzari (11) 3030-9435

Myrian Vallone – (11) 3030-9404

Paula Giffoni – (11) 3030-9402

www.2pro.com.br