Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Eu fiz. Valeu à pena. E você?

Publicidade

Já estamos no dia 10 de janeiro de 2012 (esta é a data em que escrevo este artigo). Isso significa que já se passaram cerca de 1/36 do ano. Parece pouco, mas isso também me iludiu em 2011, e ele já acabou.

No último artigo de 2011 sugeri o uso de uma ferramenta de planejamento comum nas empresas para a vida de cada um de nós, com uma análise do que foi e do que será diferente nas principais áreas da nossa vida, como: família próxima (filhos e pais), família geral, vida conjugal, situação financeira, atuação e satisfação profissional, saúde (geral, física, mental, estética), relacionamento com amigos, lazer, prazer, educação, voluntariado, sustentabilidade, espiritualidade e sentido.

Eu, depois de sugerir, me vi numa rua sem saída, pois não dava para fingir que não sabia o que devia fazer. Para oferecer um remédio aos outros sei que o primeiro passo é tomá-lo para ver se funciona. Afinal, cadê a minha coerência, a minha integridade? Imbuído de uma dose de coragem e determinação, depois de vencer uma pequena resistência inicial (com o sempre presente argumento de que não tinha tempo, pois estava cheio de trabalho e, nos poucos dias de folga, era hora de dar atenção aos filhos ? o que era verdade), aproveitei alguns momentos livres na praia (principalmente pela manhã, antes de todos acordarem) e fiz o meu planejamento de forma completa. Olhei para cada área com atenção e escrevi com clareza as ações. Cheguei ao detalhe de planejar o ano em relação a algumas pessoas importantes na minha vida. Na prática este processo me tomou um pouco mais de dois meio-períodos.

Aproveitei para dividir alguns pontos com os meus filhos. Eles gostaram e já incluí nos planos uma viagem específica que eles me pediram. Na análise do que aconteceu em 2011 vi com clareza os meus erros anteriores de priorização. Também percebo o grande desafio para executar este planejamento neste ano. Ele vai exigir lembrança e atenção constantes. Entretanto, estou animado, pois sei que a sua execução me levará para onde quero ir.

Saí deste exercício fortalecido, percebendo-me mais consciente e focado. Isso me animou a insistir na sugestão aos leitores deste blog: faça o seu planejamento pessoal para 2012. Ainda dá tempo, pois faltam 35/36 do ano, que podem ser melhor aproveitados se você souber com clareza para onde quer ir e o que fazer. Dizem que para quem não sabe para onde quer ir, qualquer lugar serve. Este não é o meu caso. E o seu? Torço que não…

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta