Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Custo e Eficiência: como gerenciar e avaliar nossos resultados?

Publicidade

A cada dia ouvimos
reportagens ou lemos artigos e reportagens tratando da questão preocupante dos
custos atrelados a prestação de serviços de saúde e, por consequência, da
dificuldade de gerir empresas nesse ramo de negócio. A economia do país, nos
momentos recente e presente, tem demonstrado sinais de que as coisas não
caminham bem. Fraco crescimento, inflação tomando fôlego, indústrias em ritmo
lento, entre outros destaques, denotam que as empresas necessitam adotar meios
e estratégias para se enquadrar em um novo contexto econômico, diferente
daquele que, nos últimos anos, fizeram resgatar e ainda impulsionar um
sentimento de que iríamos entrar em novo período de. sucessos. A economia mundial
também enfrentou um período de incertezas e dificuldades e somente agora começa
a dar alguns sinais de modesta recuperação.

Os padrões internacionais de
acreditação, aplicados pela Joint Commission International (JCI), agência
acreditadora da qual o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) é
representante exclusivo no Brasil, são criados com base no monitoramento dessas
realidades e contextos a nível mundial. É condição fundamental que os padrões
estejam direcionados no objetivo de contribuir, de forma efetiva, com a
melhoria da qualidade e segurança dos sistemas e serviços de saúde, conforme
seu enquadramento nos contextos e cenários locais, regionais ou internacionais.

A nova edição do Manual
Internacional de Padrões para Acreditação de Hospitais da JCI, vigente a partir
de 01 de abril de 2014, trouxe como grande mudança a revisão, atualização e
ampliação do capítulo de padrões que tratam do Governo, Liderança e Direção da
instituição. Entre os requisitos de atualização, foram incorporados elementos
que tratam da gestão baseada em evidências da análise do custo e eficiência da
instituição. O propósito é analisar e monitorar os principais impactos, de
alcance global e setorial, que efetivamente garantam a manutenção do negócio do
hospital, segundo a visão e missão estabelecidas pela sua estrutura de Governo,
Liderança e Direção.

A primeira necessidade é o
gerenciamento direto do programa de qualidade e segurança do hospital. O manual
destaca: “A estrutura de Governo aprova ou estabelece todos os programas e
políticas do hospital e aloca recursos para cumprir a missão do hospital. Uma
responsabilidade importante é desenvolver esforços e direcionar recursos de forma
que garanta e apoie a melhoria contínua da qualidade e segurança do paciente.
Esse investimento importante na qualidade precisa ser planejado, receber
recursos adequados e ser monitorado com relação ao progresso”.

A necessidade de
gerenciamento efetivo é tratado no manual conforme a seguir: “A liderança do
hospital avalia o impacto das melhorias. Medir a eficiência de um processo
clínico complexo e/ou identificar reduções no custo e no uso de recursos após a
melhoria de um processo são exemplos. Medir o impacto de uma melhoria ajuda a
compreender os custos relativos do investimento em qualidade e o retorno humano,
financeiro e outros retorno sobre esse investimento. A liderança do hospital
apoia a criação de ferramentas simples para determinar o uso de recursos do
processo antigo e para avaliar um processo novo. É importante compreender como
o impacto de uma melhoria no resultado do paciente, o custo relativo e a
resultante eficiência do processo contribuem para o estabelecimento de
prioridades melhores no futuro, no nível da instituição como um todo e no nível
do departamento/serviço. Quando essas informações gerais do hospital são
combinadas, a liderança consegue compreender melhor como
alocar os recursos disponíveis para melhorar e garantir a qualidade e segurança
do paciente”.

É importante, portanto,
entender que um programa de acreditação pode contribuir de forma direta para o
estabelecimento de um modelo ou método de gestão de uma instituição de saúde,
uma vez que contempla requerimentos não somente para os aspectos essenciais da missão
do hospital, que é cuidar de pacientes, mas também da manutenção e garantia de sobrevivência
de seu negócio como empresa.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta