Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Cursos gratuitos: Faturamento, Auditoria de Contas e Gestão Comercial

Créditos: shutterstock
Publicidade

Dando continuidade ao projeto que visa capacitar profissionais do segmento da saúde que não têm condições para “bancar” um curso de qualidade, na semana passada disponibilizamos o primeiro curso EAD gratuito.

É do Modelo GFACH, e tem 3 módulos:

  • Gestão Comercial Hospitalar;
  • Gestão do Faturamento Hospitalar;
  • Gestão da Auditoria de Contas Hospitalares.

Para quem deseja (ou necessita) estudar as disciplinas é só entrar no site www.gfach.net.br, baixar os vídeos, o livro, os exercícios e os simulados das provas de conceito. O gabarito das provas é fornecido por e-mail.

Tudo gratuitamente.

O próprio interessado imprime os simulados e os exercícios, vai assistindo os vídeos e/ou lendo o livro, respondendo as questões e fazendo os exercícios.

O curso foi elaborado no conceito “instrução programada”, ou seja, as questões de cada tópico são feitas imediatamente sobre o tratamento do assunto. O participante é incentivado a pensar no assunto imediatamente quando ele é tratado, e não no final do capítulo, o que permite melhor fixação do conteúdo:

  • O módulo de gestão comercial abrange também aspectos da organização e financiamento dos sistemas SUS e Saúde Suplementar. Nos cursos de graduação e pós relacionados à administração hospitalar são tratados na disciplina “Sistemas de Saúde”, e são fundamentais para que o relacionamento comercial do hospital com os provedores (SUS e operadoras de planos de saúde) seja conduzido de forma adequada – formação de preços, definição de produtos, etc.
  • O módulo de faturamento dá foco nos processos de formação e remessa das contas, SUS e Saúde Suplementar. Discute a padronização dos lançamentos, o controle das contas, etc.
  • E o módulo de auditoria de contas dá foco nos processos de auditoria concorrente, auditoria, local, auditoria pós remessa, glosa, recurso e reversão de contas.
  • Complementando, um capítulo extra demonstra a importância da base de dados do faturamento para a gestão estratégica dos hospitais, discutindo o potencial de informações que se tem para a tomada de decisão.

Desde que lançamos os livros gratuitos (desta disciplina e das outras 4), e, diga-se de passagem, com o apoio decisivo do Portal Saúde Business, mais de 10.000 downloads já foram feitos, e temos a expectativa que os cursos EAD gratuitos terão ainda maior interesse. O que nos deixa particularmente satisfeitos é comprovar que a maior parte dos interessados é de profissionais que trabalham em hospitais públicos, santas casas e hospitais privados benemerentes !!!

 Uma pessoa de Rio Branco (é … Rio Branco do Acre !) elogiou o projeto e enviou mensagem dizendo “antes não entendia as tabelas de preço utilizadas na saúde suplementar” … “agora não vou mais trabalhar no piloto automático fazendo só o que o meu chefe me ensinou” … “ele mesmo indicou o livro do site” … “ele disse que aprendeu muita coisa que não sabia”.

Uma enfermeira que “ajuda no faturamento de uma Santa Casa do interior do Estado de São Paulo” relatou “não sabia que a gente pode cobrar diária de acompanhante no SUS. Pensei que era só o procedimento”.

Veja a semelhança: escutei coisas muito parecidas dando aula sobre a disciplina no último sábado em Goiânia. Em uma sala com pessoas que trabalham em hospitais públicos, privados, na cooperativa de uma cidade do interior de Goiás, na Secretaria Municipal de uma Cidade da região …

Veja a diferença: esta pessoa que estava na aula tem condições de pagar por um MBA e, imediatamente ao chegar no seu local de trabalho na segunda-feira, vai aplicar conhecimento que vai melhorar o resultado financeiro do hospital, da operadora ou da secretaria de saúde que trabalha. Já as pessoas que estão entrando no site não têm a mesma sorte de poder pagar por um curso presencial, mas têm a oportunidade de tomar contato com algo que a própria empresa que trabalham não lhes proporciona … mesmo sendo a empresa a principal interessada !!!

Não se compara um curso presencial com um à distância. Na interação pessoal discutimos mais casos, discutimos casos específicos, ajudamos a formar um network que vai contribuir definitivamente na carreira da pessoa e, principalmente, olhando nos olhos dos interlocutores podemos sentir a absorção e dar maior ou menor atenção a um ou outro tópico.

Mas pode-se aprender, e muito, no EAD. Me surpreendi com uma pessoa que trabalha em um hospital em Campinas que fez o curso EAD de gestão de contratos antigo (o que era pago) e atingiu uma pontuação na prova de conceito que ninguém atingiu nos cursos presenciais. Quando remeti o certificado fiz questão de elogiar, porque sem saber esta pessoa fortaleceu a convicção que tínhamos de que se a pessoa quiser estudar, nosso projeto vai lhe ajudar muito.

É importante ressaltar que o curso EAD é totalmente gratuito, mas não temos como bancar a certificação. Se o interesse é aprender, é tudo de graça, mas se necessitar de um certificado não temos como bancar … ainda.

Se necessitar de um certificado de proficiência o interessado deve fazer uma prova presencial, e para bancar as despesas de locação do local, pessoas envolvidas na organização, impressão dos certificados, etc. é necessário o pagamento de uma taxa … continuamos a prospectar empresas que se interessem por um projeto realmente filantrópico para ajudar nisso.

Infelizmente o Brasil seguiu um caminho infeliz para incentivos fiscais e particularmente decidi não fazer parte deste mal que tanto prejudica o ensino, pesquisa, esporte e saúde … só quem já tentou fazer algo na base do incentivo fiscal no Brasil sabe do que eu estou falando.

Mas isso é “prosa” para outro post … quem sabe o próximo !!!

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Comentários

Deixe uma resposta