Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Conheça o passo a passo do medicamento dentro do hospital

Publicidade

Os órgãos
de controle de fabricação, distribuição e consumo de medicamentos no Brasil
expedem em média mil avisos de anormalidades de fabricação ou uso de produtos.
Há, portanto, a necessidade de fazer recalls de forma intensa.

 

Sendo
assim, a rastreabilidade de medicamentos é fundamental para identificar quem
consumiu, comprou, onde está e em que condições estão quaisquer produtos
farmacêuticos que estão circulando no mercado brasileiro. Por isso, ter um
projeto de logística com recursos de rastreabilidade em toda a rede de
atendimento torna-se uma grande ferramenta para garantir a segurança de toda a
cadeia de saúde.

 

Desde a
fabricação, há uma preocupação dos órgãos sanitários em adotar códigos de
barras padronizados, conforme as normas da Agência Nacional de Vigilância
Sanitária (ANVISA). Além disso, a agência criou o Comitê Gestor da Implantação
do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (SNCM) para aperfeiçoar ainda
mais a rastreabilidade de medicamentos e facilitar o recolhimento de lotes por
quaisquer problemas, onerando menos o sistema de saúde e garantindo mais
segurança aos consumidores.

 

Dentro do
hospital, a logística pode ser resumida em 11 etapas:

  1. Recebimento
    (conferência dos pedidos e verificação da integridade das embalagens, lote, validade
    e quantidade).
  2. Endereçamento
    (alocação de produtos nas áreas de estocagem, conforme lote e validade).
  3. Dispensação
    Individualizada
  4. Dispensação
    coletiva
  5. Dispensação
    de Kits de procedimento
  6. Rastreabilidade
    desde a entrada até o consumo
  7. Gerenciamento
    de Estoque
  8. Gestão de
    material consignado
  9. Controle
    de administração de medicamento
  10. Logística
    reversa (estorno físico, contábil e financeiro dos produtos não consumidos pelo
    paciente).
  11. Gestão
    automática de requisição de compras

 

A gestão
logística de medicamentos envolve também a área de tecnologia, que pode
organizar as informações gerenciais de forma mais prática. Além disso, a equipe
assistencial é fundamental para que o processo tenha sucesso, pois são
responsáveis pela administração dos remédios, bem como abastecer os sistemas de
controle de informações. A junção de processos bem desenhados com tecnologia e
pessoas treinadas garante que o caminho percorrido pelo medicamento seja
adequado e eficiente não somente para a instituição de saúde, como também para
o paciente.

 

Domingos Fonseca, Presidente da UniHealth
Logística Hospitalar

http://unihealth.com.br/

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta