Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Como smartphones e yoga influenciam nossa saúde?

Publicidade

Em uma recente publicação, a norte-americana Time fez uma revista entitulada “100 New Health Discovers: How the latest breakthroughs affect your health and wellness?”.

Smartphones:

Entre as diversas notícias desta edição, uma especialmente interessante se refere aos smartphones e seus efeitos danosos em nossos cérebros. Não existe nada que mais compele nós seres humanos do que informação social, que ativa a parte do cérebro relacionada à recompensa. Isto é um destruidor da capacidade de focar, sendo que um estudo demonstrou que pode demorar de 15 a 25 minutos para o cérebro voltar aonde estava após parar para ler e-mail.

Outro estudo descobriu que pessoas que gastam muito tempo fazendo “media multitasking” tem menos matéria cinzenta em uma parte do cérebro envolvida com pensamento e controle emocional. Estas mesmas características estruturais estão associadas com transtorno obsessivo-compulsivo, depressão e distúrbio de ansiedade, o que nos leva a especular sobre os potenciais danos de ficarmos tanto tempo utilizando smartphones, smartwatches e outras social media.

Para recuperar o controle sobre a “smartphone crazyness”, meditação, não ficar olhando o smartphone constantemente, bem como estabelecer uma rotina para checá-lo podem ajudar. “Pessoas fazer descobertas incríveis quando elas estão concentradas com profundidade numa tarefa específica.

Yoga:

Cerca de 11% dos adultos têm distúrbios de ansiedade e de 15 a 20% dos idosos experimentam depressão. Após analisar 15 estudos, sendo que 12 deles eram estudos randomizados, descobriu-se que as melhores formas de aliviar a depressão eram yoga, intervenção musical e “muscle tensing and relaxing exercise” chamado de PMRT, para relaxamento progressivo da musculação. O yoga e intervenção musical foram as intervenções de maior sucesso nas pessoas com ansiedade.

Contudo, a yoga tem o efeito de maior duração. Efeitos positivos de alongamento, respiração e meditação permanecem por pelo menos seis meses, depois que eles começaram

Fonte: “1oo New Health Discoveries, Revista Time, 04/03/2016″

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta