HIS17 Já emitiu sua credencial gratuita para o HIS '17? Já são +1.800 profissionais! Clique aqui

Como o cloud computing está transformando a saúde no Brasil

Publicidade

Agendamento de consultas na internet, aplicativos que facilitam o atendimento e prontuários que podem ser acessados de qualquer lugar do mundo. A relação entre médico e paciente mudou graças à evolução tecnológica das últimas décadas. Conceitos que antes eram utilizados apenas no ambiente corporativo entraram de vez na área da saúde. O principal deles é o cloud computing.

Pesquisas confirmam o crescimento dessa tecnologia no setor de saúde. Levantamento da MarketsandMarkets indica que o mercado global de soluções na nuvem em organizações médicas deve movimentar cerca de US$ 9,5 bilhões até 2020, o triplo do valor registrado em 2015. No Brasil, três quartos dos estabelecimentos já possuem algum tipo de sistema eletrônico para registro de dados dos pacientes – e 16% deles já utilizam apenas dados digitais, segundo a Pesquisa TIC Saúde 2015.

O crescimento do cloud computing está atrelado à popularização de ferramentas que otimizam a gestão e a análise médica. Softwares na nuvem, por exemplo, tendem a ser mais escaláveis, ou seja, atendem uma demanda crescente de serviço, podem ser customizadas de acordo com o uso da pessoa e, mais importante, possuem custos menores do que equipamentos que necessitam de manutenção constante.

Dessa forma, a nuvem traz flexibilidade e comodidade para os médicos, permitindo que eles realizem ações e tomem decisões mesmo longe de suas clínicas e consultórios. Afinal, basta um smartphone com acesso à rede para o profissional checar sua agenda, acessar dados clínicos de seus pacientes e até mesmo registrar um atendimento.

Apontado muitas vezes como obstáculo para a adoção da nuvem, a segurança da informação no ambiente digital começa a ter uma maior aceitação entre os profissionais de saúde. Ainda de acordo com a TIC Saúde, esse temor é apenas a décima barreira mais lembrada pelos médicos como um problema na adoção de um sistema de prontuário eletrônico.

Atualmente, médicos e enfermeiros precisam dividir a atenção dada aos pacientes com questões administrativas, equipamentos tecnológicos, presença digital, entre outros pontos inerentes à gestão. Contudo, com boas soluções em cloud computing, esses profissionais ganham tempo e podem focar naquilo que mais sabem fazer: atender com qualidade e garantir uma vida saudável aos cidadãos.

* Tiago Delgado é sócio-fundador da Medicina Direta, empresa especializada em gestão e serviços digitais para clínicas e consultórios

       
Publicidade

Deixe uma resposta