Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Chatbot: o seu médico de bolso!

Publicidade

Imagine o seguinte diálogo de um paciente com uma app no smartphone:

App (A): Alô Peter como eu posso lhe ajudar?
Paciente (P): Eu estou com o nariz escorrendo e com dor de cabeça.
A: Ok Peter, eu entendo que você está com o nariz escorrendo e com dor de cabeça.
A: Quanto tempo você está com estes sintomas?
P: Há poucos dias.
A: Você tem alguns destes sintomas: (1) Tosse seca; (2) Febre; (3) Dor muscular; (4) Arrepio ou Tremedura. Marque o que sente.

Esse diálogo é baseado em uma app móvel chamada Chatbot (ou Chatterbot) [1]. Essa aplicação é um programa computacional que realiza uma conversa através de métodos auditivos ou textuais. Tais programas são frequentemente concebidos para simular de forma convincente como um ser humano (no caso acima um médico) iria se comportar como um parceiro de conversação. Os Chabots normalmente utilizam sistemas de diálogo para diversos fins práticos, incluindo atendimento ao cliente ou aquisição de informação (no caso acima tenta estabelecer um diagnóstico do paciente). Alguns utilizam sistemas sofisticados de Processamento de Linguagem Natural (NLP = Natural Language Processing [2]), mas outros sistemas mais simples procuram palavras-chave na entrada, em seguida, obtém uma resposta com as palavras-chave mais harmonizada com a pergunta, ou um padrão de texto similar, a partir de um banco de dados.

O Chabot é mais uma implementação da tão propalada Inteligência Artificial (IA) [3] e [3.1].

A economia dos “bots” está crescendo de forma bem mais rápida que a economia das “apps móveis” [4] em um momento que o mercado está “virando o rosto” para a aposta das “apps móveis” pois o este mercado está vivendo uma realidade de superpopulação e de difícil monetização [5] … anote isso se você pensa que vai ganhar dinheiro com sua “maravilhosa” app de saúde!  

De todos as áreas que a IA vai provocar disrupção nos próximos anos, a de Saúde pode presenciar as maiores quebras de paradigmas. A influência da IA na indústria de saúde será profunda e ampla. Os algoritmos de reconhecimento de imagem utilizando a tecnologia de Deep Learning já auxiliam a detectar doenças em uma taxa surpreendente [6-8]. Atualmente, algumas “startups” estão usando máquinas inteligentes para redesenhar a parte clínica, redefinir o papel do médico, e reposicionar o paciente em relação à sua própria saúde. Conheça mais sobre a tecnologia de Deep Learning aqui em [8.1].

A mudança que IA vai trazer na Saúde será bem-vinda. À primeira vista, a IA vai trazer um bem-estar sem precedentes para as pessoas ao redor do mundo. Mas com o progresso deve-se também ter-se cautela com a infiltração das máquinas nas intimidades humanas e no acesso aos nossos mais íntimos “eus”.

A relação médico-paciente não mudou muito desde que Hipócrates escreveu pela primeira vez seu juramento médico há mais de dois mil anos atrás. Os pacientes se sentem doentes, vão para a clínica, e apontam o que dói e o que os afligem. Os médicos verificam os sinais vitais, sondam um pouco, fazem algumas perguntas, oferecem um diagnóstico, e em alguns casos escrevem uma receita. Existe um sofrimento do lado do paciente, a simpatia do médico, e uma luta conjunta contra a doença.

Por uma série de razões (associadas à saúde e ao desenvolvimento da tecnologia) estão surgindo as primeiras aplicações de diagnóstico baseadas em smartphone que colaboram na relação médico-paciente. Como vimos acima, essas aplicações móveis são chamadas Chatbots.

Os analistas de indústria apostam que eles serão uma forte tendência no mercado de IA nos próximos cinco anos [9] e, também, uma área atrativa a observar no mercado de saúde! [10-11].

As primeiras aplicações estão destacando-se no segmento de diagnósticos e nos relacionamentos com os médicos.

Como exemplos de Chatbots temos dois casos de “startups” britânicas: Your.MD [12] e Babylon Health [13]. Ambas as apps têm a mesma ambição: melhorar os precários serviços de saúde. Elas estão fazendo isso através da redução das consultas desnecessárias, criando um modelo avançado de dados médicos, e desenvolvendo uma app baseada IA que elas esperam que possa envolver os pacientes, assim como um médico.

A “startup” Your.MD afirma que já construiu o maior mapa médico “conectando” as probabilidades entre os sintomas e condições clínicas. Seu Chatbot utiliza algoritmos de aprendizado de máquina (“machine learning”) e processamento de linguagem natural (NLP) para entender e engajar os seus usuários. O aplicativo vem pré-instalado em todos os telefones Galaxy graças a parcerias vigentes com a Samsung, e a “startup” assegura que a sua app sempre estará disponível gratuitamente. É um sistema sofisticado, mas ainda é um trabalho em evolução, continuando a estimular o “crowdsourcing” das informação médicas  dos médicos.

Imagine que a tecnologia de IA da app Your.MD está em rede como a mente de um médico. Uma densa biblioteca de vocabulários médicos ajuda a identificar os sintomas do paciente. Dependendo de variáveis como idade, sexo, localização e época do ano, os algoritmos de IA personalizam suas perguntas para cada caso. O amplo mapa médico e o perfil do paciente ajudam a tecnologia de IA a determinar a probabilidade de que esses sintomas sinalizem esta ou aquela condição. Uma vez que um diagnóstico informal é feito, o sistema extrai dados do Serviço Nacional de Saúde (o NHS britânico) para oferecer sugestões e ajudar aos pacientes a se conectar com os médicos.

A app Your.MD responde às perguntas de um paciente como um médico pode responder. Com o suporte da tecnologia de aprendizado de máquina (“machine learninf”), o sistema pode aprender como um médico, assimilar e aplicar o conhecimento adquirido do caso de um paciente para um outro. Conheça mas sobre o Chabot Your.MD aqui em [14].

A equipe da “startup” Babylon Health está ocupada no desenvolvimento do que eles chamam de “inteligência artificial médica mais precisa do mundo.” Eles planejam lançar o recurso como um complemento para a sua “freemium app” de mHealth em novembro desse ano.

Recentemente, o CEO da Babylon Health Ali Parsa mostrou o seu Chatbot em Londres, respondendo a perguntas a respeito de uma dor de cabeça que ele tinha relatado anteriormente. O Chabot seguiu como um médico bem treinado – ou talvez assistente de um médico. Ele levou Parsa através de perguntas e respostas, e, finalmente, aconselhou-o que sua dor de cabeça poderia ser irritante, mas não deveria causar preocupação. “Ele” se ofereceu para reservar uma consulta se Parsa desejasse. “Ele acabou de passar por milhares de milhões de variações de sintomas [para fazer essa sugestão]”, disse Parsa.

Apesar de que a memória de um computador sempre vai ser melhor do que a de um médico, os computadores não podem se comunicar com pessoas de uma forma mais eficiente que os médicos. No mundo real, as pessoas descrevem seus sintomas de maneiras muito diferentes, dependendo das suas personalidades. Em outras palavras, há algo a ser dito para a intuição de um médico sobre o relacionamento humano com seu paciente [15].

Por estas razões, os Chatbots não têm a intenção de substituir os médicos com a tecnologia de IA. Ambas as apps Your.MD e Babylon buscam parcerias com os médicos para assegurar que as condições graves chamem a atenção profissional. Os Órgão Reguladores de Saúde não irão permitir – pelo menos a curto prazo – que as aplicações de IA façam diagnósticos oficiais. Os sistemas são concebidos para orientar aos pacientes, para sugerir se a gravidade dos sintomas justifica uma ida à clínica e, para ajudar aos profissionais médicos a fazer diagnósticos mais informados.

Mais uma novidade nessa seara … recentemente, o “Google chinês” (Baidu) – que aposta muito em IA com o seu ex-Stanford Andrew Ng [16] – anunciou um Chatbot, chamado Melody, para ajudar aos médicos a diagnosticar os seus pacientes [17].

Veja como construir um Chabot inteligente aqui em [18] e tenha uma idéia de custo para fazê-lo aqui em [19].

Anote … o Chabot – baseado em tecnologia de Inteligência Artificial – vai trazer muitos serviços diferenciados para o segmento da Saúde … ponha sua cabeça para trabalhar e vai descobrir o que fazer!

Referências:

[1] Chatterbot, Wikipedia

https://en.wikipedia.org/wiki/Chatterbot

[2] Natural Language Processing, Wikipedia

https://en.wikipedia.org/wiki/Natural_language_processing

[3] Artificial Intelligence, Wikipedia

https://en.wikipedia.org/wiki/Artificial_intelligence

[3.1] Preparing for the Future of Artificial Intelligence, White House, October 2016 [PDF]

https://www.whitehouse.gov/sites/default/files/whitehouse_files/microsites/ostp/NSTC/preparing_for_the_future_of_ai.pdf

[4] The Bot Economy Is Growing Even Faster Than the App Economy Did, Bloomberg, 15.sep.2016

http://www.bloomberg.com/news/articles/2016-09-15/the-bot-economy-is-growing-even-faster-than-the-app-economy-did

[5] Health and medical app landscape becoming crowded, harder to monetize, report finds, 11.OCT.2016

http://www.mobihealthnews.com/content/health-and-medical-app-landscape-becoming-crowded-harder-monetize-report-finds

[6] Deep Learning: como essa tecnologia pode transformar a medicina?, Saúde Business, 10.dez.2015

http://saudebusiness.com/deep-learning-como-essa-tecnologia-pode-transformar-a-medicina/

[7] Reconhecimento de imagens: Um novo aliado do diagnóstico Digital na Medicina, Convergência Digital, 01.mar.2016

http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=41782&sid=15

[8] Deep Learning in Healthcare: Challenges and Opportunities, The Medium, 11.aug.2016

https://medium.com/the-mission/deep-learning-in-healthcare-challenges-and-opportunities-d2eee7e2545#.jkt6slzgv

[8.1] Why Deep Learning is Suddenly Changing your Life, Fortune, 28.sep.2016

http://fortune.com/ai-artificial-intelligence-deep-machine-learning/?iid=leftrail

[9] Smart assistants and chatbots will be top consumer applications for AI over next 5 years, poll says, Venture Beat, 22.jun.2016

http://venturebeat.com/2016/06/22/smart-assistants-and-chatbots-will-be-top-consumer-applications-for-ai-over-next-5-years-poll-says/?utm_content=buffer919b7&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer

[10] The Future of Healthcare Is Arriving – 8 Exciting Areas to Watch, Singularity Hub, 22.aug.2016

http://singularityhub.com/2016/08/22/exponential-medicine-2016-the-future-of-health-care-is-coming-faster-than-you-think/

[11] Chatbots made for Healthcare, Tincture, 19.apr.2016

https://tincture.io/chatbots-made-for-healthcare-fec631bc8462#.bd2ttt66k

[12] Your.MD

https://www.your.md/

[13] Babylon Health

http://www.babylonhealth.com/

[14] Your.MD Launches AI-Powered Doctor Diagnosis on Facebook Messenger Via Chatbot, HIT Consultant, 29.apr.2016

http://hitconsultant.net/2016/04/29/md-launches-ai-powered-doctor-diagnosis-facebook-messenger-via-chatbot/

[15] The Artificially Intelligent Doctor Will Hear You Now, MIT Technology Review, 09.mar.2016

https://www.technologyreview.com/s/600868/the-artificially-intelligent-doctor-will-hear-you-now/

[16] Referências do Google sobre “Andrew Ng”

https://www.google.com.br/webhp?sourceid=chrome-instant&ion=1&espv=2&ie=UTF-8#q=andrew%20ng

[17] Baidu launches medical chatbot to help Chinese doctors diagnose patients, The Verge, 11.oct.2016

http://www.theverge.com/2016/10/11/13240434/baidu-medical-chatbot-china-melody

[18] How to build smarter chatbots, Venture Beat, 11.oct.2016

http://venturebeat.com/2016/10/11/how-to-build-smarter-chatbots/

[19] Here’s how much it costs to make a chatbot, 10.oct.2016

http://venturebeat.com/2016/10/10/heres-how-much-it-costs-to-make-a-chatbot/?utm_content=buffer1a617&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer

Emitido por Eduardo Prado

Data: 30.out.2016  

Eduardo Prado é consultor de mercado em novos negócios, inovação e tendências em Mobilidade e “Big Data” em Saúde.

E-mail: eprado.sc@gmail.com

Twitter: https://twitter.com/eprado_melo

Outras matérias do mesmo autor:

1.Blog Saúde 3.0

http://saudebusiness.com/blogs/saude-3-0/

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta