Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

BENZETACIL NELES!!

Publicidade

Quando eu estava no Exército, havia uma brincadeira que fazíamos (e que muitos devem ter experimentado): quando você comparecia ao ambulatório médico, não importava se o seu problema era febre, unha encravada ou dor. O remédio era sempre o mesmo: Benzetacil… Obviamente, àquela altura, todos evitavam ao máximo, baixar no ambulatório porque a certeza de uma picada seguida de dor era fatal. Hoje em dia enfrentamos situação semelhante, só que com a Ouvidoria da ANVISA. Explico: não importa qual seja o pleito das empresas, as respostas são padronizadas e não informam nada com coisa alguma. Atrasos na análise dos processos de registro? ?A análise segue ordem cronológica?. E os prazos determinados na legislação? Eles citam, em algum artigo ou parágrafo a ?ordem cronológica? ou estabelecem um prazo determinado para o final das análises e pronunciamento das autoridades, neste caso, a ANVISA? Problemas na marcação de reuniões para discutir atrasos ou exigências cujas informações já se encontram nos processos? ?O seu pleito será encaminhado para a área competente?. Se estamos apelando para a Ouvidoria, obviamente, já tentamos o contato com a área competente, sem resultados. Qual é a lógica de enviar o pleito do Agente Regulado para a Área Competente, já que esta é a origem do problema? Por que é que a Ouvidoria não encaminha os pleitos, de forma consistente, a uma autoridade acima da Área Competente? Por que é que os problemas não são resolvidos em sua raiz, ao invés desse eterno ?imbróglio??? Por que é que o país não pára de perder dinheiro com os atrasos da ANVISA? Por que é que os pacientes têm que ser privados de melhores tecnologias médicas por conta dos atrasos e eternos (mesmos) problemas do Agente Regulador? Por que temos uma Ouvidoria surda aos pleitos justos e oportunos do mercado?? Por que é que só usamos a Benzetacil???

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta