Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

As Diferentes Fases da Medicina Laboratorial III

Publicidade

Parte III – Fase Pós-AnalíticaComo continuação aos artigos anteriores, onde falamos sobre as fases pré-analítica e analítica, terminaremos com este texto sobre a fase pós-analítica, que contempla todas as atividades envolvidas após a determinação de um resultado laboratorial. Segundo o CDC (Center of Disease Control), em relatório sobre a Medicina Laboratorial, a fase pós-analítica contempla três principais ações: Report Review, Results Reporting e Results Interpretation, que definem a ação a ser tomada junto ao paciente. Esta fase tem seu início na disponibilização do resultado ao paciente ou seu médico assistente. A validação deste resultado individualmente e em relação a outros exames realizados no momento ou previamente, assim como aos dados do paciente (sexo, idade, medicamentos em uso, etc), pode ser realizada manualmente ou por meio de sistemas de informação customizados, o que denominamos de delta check. Com base nestas análises, decisões de repetições de exames, testes reflexos (exames complementares ao realizado para auxiliar no diagnóstico), diluições, análise de interferentes, entre outras, são tomadas. O resultado do exame é então disponibilizado em um laudo, que contém informações sobre o paciente, exame e sobre o laboratório – como conteúdo mínimo definido pelos órgãos regulamentadores – e também informações adicionais definidas pelo próprio prestador, que são valores agregados ao serviço prestado. O modo de disponibilização dos resultados é um importante fator gerador de valor em saúde, com diferentes possibilidades de apresentação, desde impressos retirados no laboratório ou pela internet até a informação enviada por smartphones ou outros dispositivos móveis, interfaces com prontuários eletrônicos, impressos diretos em unidades hospitalares (UTI, Centro Cirúrgico, etc.), entre outros. Os intervalos de referência ou valores ?normais? dos exames que são disponibilizados nos laudos devem ser prioritariamente validados para a população de abrangência do laboratório, com base nos dados dos fornecedores de reagentes. Em geral, temos dois tipos distintos de intervalos de referência: os valores obtidos de uma população saudável (Health-Associated) ou aqueles com base em literatura e guidelines e relacionados à decisão clínica (Decision-Based). (Arch Pathol Lab Med 2007). Todo laboratório deve possuir uma política e um procedimento padrão para a comunicação em tempo hábil de resultados de testes previamente definidos que reflitam uma condição com necessidade imediata de terapêutica devido ao risco ao paciente, denominado de Valor Crítico. (Am J Clin Pathol 2008). A notificação de Valores Críticos é um requisito dos principais programas de qualidade, como PALC (Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial), CAP (College of American Pathologists), ONA (Organização Nacional de Acreditação), entre outros e para a JCAHO (Joint Comission on Accreditation of Healthcare Organizations), este item é uma meta relacionada à segurança do paciente. Na operação, a fase pós-analítica define o armazenamento das amostras dos pacientes no laboratório de forma padronizada e com rastreabilidade garantida Com o importante crescimento do conhecimento na área diagnóstica, a atividade de assessoria especializada em Medicina Laboratorial tornou-se um dos principais pilares de atuação na fase pós-analítica, consistindo no auxílio ao medico assistente na interpretação dos resultados laboratoriais. O conhecimento das três diferentes fases dos processos em Medicina Laboratorial, somado aos conhecimentos técnicos sobre as diversas metodologias, permitem aos laboratórios atuarem na correlação clínico-laboratorial, como diferencial competitivo para o mercado, promovendo uma melhor utilização dos recursos disponíveis e contribuindo para uma melhor gestão em saúde. Desta forma, condensamos nos últimos três artigos as fases que completam todo o processo de realização de exames, destacando a importância dos resultados laboratoriais e suas entregas de forma adequada e com suporte especializado, impactando positivamente no desfecho clínico. A todos, um Feliz Natal e um 2011 de grandes realizações!!!

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta