Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Apps para pacientes: saiba os tipos e o que fazem para a Saúde

Publicidade

Antes de entendermos como anda o mercado de Apps para Saúde, é interessante compreender como cresceu a importância dos pacientes na melhoria do sistema de saúde. Antes os médicos eram responsáveis pelos cuidados de saúde e posteriormente as próprias operadoras de Saúde ganharam relevância nessa responsabilidade, porém a tendência é que os pacientes cada vez mais ganhem mais destaque nessa transformação dos cuidados.

E os Apps de Saúde utilizados pelos pacientes têm um papel fundamental nessa mudança de cenário, porém para isso também precisam passar por algumas mudanças que veremos mais adiante.

Não existem dados abertos sobre a estimativa de Apps de Saúde no Brasil, porém segundo relatório do IMS Institute for Healthcare Informatics de 2013, o número de Apps em inglês para o setor na App Store (loja de aplicativos da Apple) é de 43.689, sendo que 20.007 foram descartados da pesquisa por não estarem realmente relacionados a cuidados de saúde. Dos 23.682 apps, 7.407 foram categorizados como para uso profissional (HCP) e os 16.275 apps restantes  classificados dentro de Apps orientados a consumidores e pacientes.

Na pesquisa, os Apps para pacientes foram classificados em 6 grandes grupos:

  • Informativos: fornecem informações em uma variedade de formatos para os pacientes (textos, fotos, videos…);
  • Instruções: fornecem instruções para os usuários;
  • Gravação (Record): Captura dados dos usuários;
  • Exibição (Display): Apresenta em formato de gráficos as informações dos usuários;
  • Guias: Fornecem guias e direcionamentos para os usuários com base em dados dos usuários, sendo que podem fornecer diagnósticos, ou recomendar consultas com médicos ou um direcionamento para o tratamento;
  • Lembretes/Alertas: Fornecem lembretes aos usuários;
  • Comunicação: Fornecem um meio de comunicação entre profissionais de saúde e pacientes.

Abaixo é possível ver a relação do número de Apps por grupo:

Apps Saúde

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas afinal, como fazer com que tais Apps potencializem o impacto na Saúde de seus usuários? A grande chave para isso é a integração com profissionais de saúde, afinal, como foi comentado no post “Como Médicos e Startups podem transformar Custos em Valor?”, a interação humana, mesmo que pontualmente e remotamente, propicia uma melhoria no quadro de saúde dos usuários e redução de custos para o sistema de saúde.

Abaixo é possível visualizar uma forma de interação entre médicos e pacientes usando funcionalidades e informações de Apps.

DADOSComitre

Além disso, no relatório da IMS, a mesma avaliou os Apps de Saúde do mercado, e o resultado mostra que ainda existe muita oportunidade para novos Apps, já que é baixo o número de Apps de qualidade existentes no mercado.

avaliação dos Apps

O mercado de Apps de Saúde está em alta e novas Startups vem surgindo nesse segmento em virtude deste cenário positivo e oposto ao que se vê no restante da economia.

Fitbit, Pebmed, Dr. CUCO, Medicina Direta e Mind the Graph, são alguns dos representantes que surgem para suprir as demandas de médicos e pacientes!

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta